River empata com Belgrano e é rebaixado pela 1ª vez

Em partida polêmica, o River abriu o marcador logo aos 5min, com Mariano Pavone

O River Plate, uma das grandes equipes do futebol mundial, não conseguiu reverter a desvantagem e caiu pela primeira vez à segunda divisão do futebol argentino. Neste domingo, em partida disputada no Estádio Monumental de Nuñez, a equipe desperdiçou um pênalti no segundo tempo e apenas empatou com o Belgrano por 1 a 1.

Em partida polêmica, o River abriu o marcador logo aos 5min, com Mariano Pavone. A equipe pressionou em busca do gol salvador, mas foi o Belgrano que conseguiu chegar ao tento de empate, aos 16min do segundo tempo, com Farré, após falha da defesa.

Pavone ainda teve a chance de dar esperanças para o torcedor no Monumental de Nuñez, mas desperdiçou uma penalidade aos 21min. Restou aos torcedores e aos jogadores chorarem no final da partida e ver o Belgrano retornar à principal divisão do futebol argentino.

O jogo

Mesmo com a situação complicada, a torcida lotou o Estádio Monumental de Núñez e fez festa antes de começar a partida. Porém, a esperança quase se transformou em desespero logo aos 4min. O Belgrano conseguiu marcar um gol, mas o árbitro Sergio Pezzota, em atitude duvidosa, marcou impedimento da equipe de Córdoba.

Quando o Belgrano ainda reclamava a anulação, o River Plate conseguiu marcar o primeiro gol no Monumental. Aos 5min, o centroavante Mariano Pavone recebeu passe de costas para a área, dominou, girou sobre o marcador e finalizou rasteiro no canto esquerdo do goleiro Olave. Assim, a equipe portenha precisava de apenas mais um gol para evitar o rebaixamento.

Aproveitando o nervosismo do River, o Belgrano conseguia contra-atacar. Porém, aos 25min, foi a vez da equipe grande reclamar da arbitragem. Caruso invadiu a área pela esquerda e foi derrubado por Claudio Pérez, mas Sergio Pezzotta mandou a partida seguir.

Na continuação do lance, a bola saiu para escanteio. Na cobrança, a bola sobrou para Pavone na área, que dominou e finalizou para boa defesa de Olave. O próprio centroavante aproveitou o rebote e cruzou para o meio da área. Díaz cabeceou para o gol aberto, mas a bola saiu por cima do gol com muito perigo.

A pressão do River continuou aos 30min. Pavone fez boa jogada pelo lado direito e cruzou para o meio da área. Olave tentou afastar mas espalmou para o meio da área. Farré foi bem e afastou o perigo antes que Caruso chegasse na bola.

Os minutos passavam e o River não conseguia o gol salvador. Aos 42min, Caruso girou em cima de Lollo e finalizou por cima do gol. No minuto seguinte, a equipe fez jogada pela esquerda e tocou para Caruso na entrada da área. Só que o atacante pegou mal na bola e finalizou mascado para fora.

Em vez da equipe da casa voltar pressionando para o segundo tempo, o Belgrano é quem começou assustando. Aos 3min, César Pereyra recebeu ótimo lançamento, avançou sozinho no campo de ataque e tentou tocar por cobertura na saída de Carrizo. A bola saiu muito desviada e pelo lado esquerdo do gol.

Caruso, Acevedo e Pavone ainda desperdiçaram boas oportunidades, mas o Belgrano praticamente finalizou o confronto. Aos 16min, o ex-zagueiro do Botafogo tentou afastar a bola, mas chutou em cima de Maidana. A bola sobrou livre para Farré chutar por baixo de Carrizzo e empatar o marcador no Monumental de Núñez.

Logo de imediato após o gol, alguns torcedores do River começaram a chorar com o iminente rebaixamento inédito à 2ª divisão do Campeonato Argentino. Desesperado, os jogadores começaram a se jogar na área com a esperança de que o árbitro marcaria pênalti.

E foi o que aconteceu aos 21min. Caruso desabou na área ao ser encostado por Távio. Sergio Pezzotta não teve dúvida e apontou para a marca da cal. Depois de algumas discussões na área, Pavone assumiu a responsabilidade. O camisa 7 cobrou a infração rasteira praticamente no meio do gol e o goleiro Olave defendeu tranquilamente.

Depois do pênalti, os torcedores no Monumental de Núñez passaram a acompanhar incrédulos as jogadas da equipe e a queda à Série B da Argentina.

Alguns torcedores mais indignados começaram a atacar objetos no campo e alguns até tentaram invadir. O árbitro Sergio Pezzotta teve que paralisar a partida para a polícia tentar controlar a situação através de jatos da água.

Os jogadores do River passaram a chorar em campo e como o jogo já estava nos 44min, restou ao árbitro encerrar a partida. A polícia cercou os atletas no gramado para achar uma forma pacífica de tirá-los de campo.

Já nas arquibancadas se via um misto de emoções. Enquanto os torcedores do Belgrano comemoravam o retorno à 1ª divisão, os "hinchas" do River Plate misturavam choro com cânticos apaixonados pelo clube. A situação só não ficou pior porque os policiais conteram a revolta com fortes jatos de água.

Fonte: Terra, www.terra.com.br