Rogério Ceni admite "risco" de ser treinador do São Paulo no futuro

Em entrevista exclusiva, goleiro fala da possibilidade de ser técnico.

Rogério Ceni no banco de reservas é uma visão surrealista. Afinal, é titular intocável do São Paulo desde 1997, um dos maiores vencedores e ídolos da história do clube, recordista de jogos com a camisa tricolor e maior goleiro-artilheiro do mundo.


Rogério Ceni admite

Mas Rogério pode ir para o banco... Quando estiver aposentado. Há alguns anos, ele rechaçava a possibilidade de, um dia, se tornar técnico. Dizia que já era goleiro e não teria saúde para acumular as duas funções mais desgastantes do futebol. Mas agora, nos últimos meses da carreira, que pode terminar no fim deste ano ou de 2013, depois de ser comandado por 18 treinadores no São Paulo e visitar Jose Mourinho e Pep Guardiola, ele já admite a possibilidade de trocar as camisas personalizadas com o número 01 às costas pelos trajes de ?professor?.

A lesão no ombro direito, a mais grave em 22 anos como profissional, tem servido como laboratório involuntário. Ceni acompanha o time do coração das cativas do Morumbi. Observa espaços, o apoio dos laterais, a marcação... Sem pretensão alguma de dividir tarefas com Emerson Leão. Até porque, sempre que toca no assunto, o ídolo faz a ressalva de que, até o dia 31 de dezembro, só pensa em voltar a defender sua meta. A diferença é que, agora, o ?mito?, como é chamado pela torcida, admite prolongar sua história no Tricolor à beira do gramado.

- Seria um risco, assim como era um risco bater falta. Se eu decidir isso no futuro, não vejo problema nenhum em treinar o São Paulo. Aliás, acho que seria mais fácil ser técnico do São Paulo do que do Corinthians (risos).

O goleiro concedeu entrevista exclusiva ao GLOBOESPORTE.COM na grande área de um dos campos do CT da Barra Funda (assista no vídeo acima). Local que ele não vê a hora de ocupar novamente. Na reta final de sua recuperação, que só será completa quando ele não sentir mais dores, revelou a felicidade ao conseguir enxugar o suor do lado direito do rosto, declarou confiança no título da Copa do Brasil, falou de Neymar, da atual safra de goleiros, Copa-2014, concentração e da chance de o Corinthians conquistar a Libertadores.

Fonte: GloboEsporte