Romário ataca Pelé e diz: "deve calar a boca" e completa "ele calado é um poeta"

Romário ataca Pelé e diz: "deve calar a boca" e completa "ele calado é um poeta"

Romário criticou Pelé por declarações a favor de Ricardo Teixeira

Romário não se contentou em repetir uma de suas mais famosas frases para atacar Pelé nesta sexta-feira. Além de voltar a dizer que o desafeto "calado é um poeta", o deputado federal esbravejou uma série de palavrões para extravasar a sua ira. Ele ficou indignado por sentir que as suas constantes críticas a Ricardo Teixeira, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), foram censuradas por quem é considerado o melhor jogador da história. "Vou contar a verdade: eu tinha prometido nunca mais falar nada do Pelé. Mas ele diz tanta m..., que não dá para evitar. Repito que o Pelé, calado, é um poeta. Ele não sabe de estatuto, de lei, de p... nenhuma do que acontece. Deveria se candidatar a alguma coisa para entender direito. O Pelé tem que calar a boca, p...!", irritou-se Romário, que, até então, estava bem-humorado em um evento promovido por um dos patrocinadores do atacante Neymar, em São Paulo. Ao lado do deputado federal, o novato e Pepe, ídolo santista que foi companheiro de Pelé, pareceram surpresos com o desabafo. Romário ainda tinha mais a dizer. "Tenho 45 anos e sou bem consciente das coisas que digo. Para muitos, eu não deveria falar do Pelé. Mas não devo nada a ninguém. Se as pessoas não gostam, é problema delas. Vou dormir tranquilo à noite", avisou. No início da semana, Pelé havia definido a cruzada que Romário trava contra Ricardo Teixeira como uma "briga pessoal". Disse desconhecer o motivo da birra, que "não deve atrapalhar a Copa em nada", segundo ele. "O Pelé falou que o meu problema era por ter sido desconvocado para uma Copa? Não guardo magoazinha. Isso é coisa de babaca. Só estou fazendo o meu papel como deputado federal", justificou o parlamentar, que até brincou ao pedir para ser chamado de "Vossa Excelência". Romário não tinha apenas um alvo. Ricardo Teixeira, obviamente, sofreu mais contestações. Principalmente porque a Fifa não pretende vender meias-entradas (direito garantido pelo Código de Defesa do Consumidor brasileiro) na Copa do Mundo de 2014 - com o aval de Pelé.

Fonte: Terra, www.terra.com.br