Romário diz que Copa 2014 não será a maior de todos os tempos

Romário criticou acúmulo de cargos de Ricardo Teixeira

Deputado federal pelo PSB pelo Rio de Janeiro, Romário disse que não considera compatível o acúmulo de cargos de Ricardo Teixeira na execução da Copa de 2014 e afirmou ainda que a Copa do Brasil "não vai ser" a maior de todos os tempos. As afirmações do ex-camisa 11 da Seleção Brasileira foram feitas em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, da RedeTV!, que foi ao ar no início da madrugada desta segunda.

Romário disse que não considera compatível Ricardo Teixeira acumular o cargo de presidente da CBF e do Comitê Organizador da Copa de 2014. O ex-atacante lembrou ainda que Teixeira também é membro do Comitê Executivo da Fifa. "Na minha concepção até para a própria saúde, (esse acumulo de cargos) não é bom. Eu acredito que ele (Teixeira) deveria delegar para alguma pessoa algumas coisas que está fazendo sozinho". Perguntado sobre as suspeitas de corrupção que envolvem o presidente da CBF, Romário destacou que ainda são "acusações". "Se ele tiver que pagar por isso, ele vai pagar. E se ele não for culpado, ele vai provar".



Quando o Brasil conquistou o direito de sediar o Mundial, Romário chegou a afirmar que o País "tinha tudo para fazer a melhor Copa do Mundo de todos os tempos". No entanto, na entrevista, o ex-atacante afirmou: "não vai ser a maior Copa de todos os tempos. Classes C, D e E, que realmente torcem e acompanham futebol dos seus times, não vão ter oportunidade de assistir aos jogos. Ingresso com preços absurdos. Essa Copa vai ser no Brasil, mas não vai ser do Brasil".

Pelé

Questionado sobre o que ele achou da escolha de Pelé, pela presidente Dilma Rousseff, como embaixador da Copa, Romário comentou, a princípio, que existe um "conflito" na escolha, porque ele também foi nomeado embaixador, só que do Rio de Janeiro e por convite de Ricardo Teixeira e Sérgio Cabral, governador do Estado.

Afirmou, também, que Pelé foi nomeado pela presidente, "porque ele tem muito mais importância", mas que "esses são títulos simbólicos". "É bom (ser embaixador)? É. Mas não tem muita representatividade", classificou. Romário disse ainda que espera que Pelé não esteja ganhando para fazer propaganda como embaixador. "A partir do momento que o Pelé cobre R$ 1 para isso, ele já não é mais capaz de ser embaixador", afirmou. Perguntado se sabe de algum pagamento para Pelé, Romário disse que não.

Fonte: Terra, www.terra.com.br