Ronaldinho Gaúcho garante profissionalismo, nega corpo mole e inúmeros "boatos" no Fla

Ronaldinho Gaúcho garante profissionalismo, nega corpo mole e inúmeros "boatos" no Fla

Os inúmeros treinos perdidos e atrasos, segundo ele, em nada tiveram a ver com as noitadas.

Ronaldinho Gaúcho nega que tenha faltado profissionalismo de sua parte na fracassada passagem de 16 meses pelo Flamengo. Diante das acusações da diretoria rubro-negra, o meia rechaça falta de empenho nos treinos, mesmo depois que os salários começaram a atrasar. Em poucas palavras, negando todos os "boatos" tornados públicos desde sua saída, R10 tentou explicar os motivos que o levaram a entrar com o pedido de rescisão na Justiça. Isso, ele não nega: os atrasos constantes nos salários foram a gota d?água.

Os inúmeros treinos perdidos e atrasos, segundo ele, em nada tiveram a ver com as noitadas. Ao contrário do que afirmou Zinho, diretor de futebol, Ronaldinho afirma nunca ter chegado embriagado para uma atividade com o grupo, e justifica as más condições físicas somente ao cansaço do dia-a-dia ­ "normais de qualquer jogador", garante ele.

"Sempre fui profissional, em todos os clubes que passei. Se eu não fosse, as pessoas falariam. Quase sempre estive treinando, participei de quase todos os jogos. Me apresentei cansado, como todos as atletas fazem um dia. É normal. Cansaço normal de não ter condições de treinar por ter saído (na noite anterior), nunca. Nas vezes que eu saio, sou uma pessoa pública, todo mundo sabe que saí", afirmou o jogador, em entrevista ao Fantástico, da TV Globo.

Desde que os atrasos nos salários de Gaúcho tornaram-se públicos - em decorrência dos problemas no acordo firmado em dezembro entre o jogador, a Traffic e o Flamengo -, o desempenho do camisa 10 em campo caiu. Ele não nega que talvez possa ter decepcionado em alguns jogos, mas discorda que tenha qualquer relação com dinheiro. Ele garante nunca ter falto a nenhuma ação de marketing planejada pelo Fla.

"Não, foi uma coincidência, um azar (a queda de rendimento na mesma época dos atrasos de salário). Porque começamos a perder na época em que as coisas já não estavam bem. Quando entramos em campo esquecemos, não pensamos em dinheiro. A gota d?água foi acumulando, vários meses sem receber. Às vezes atrasava alguns dias, pagavam. Às vezes juntava dois meses e pagavam. Tinham vários tipos de atraso", disse.

"Não é todo jogo que se joga bem. Tive grandes jogos, outros que não saíram bem. Como acontece com todo jogador. Sempre que o Flamengo me chamou (para ações de marketing) eu fui. Essa parte não sou nem eu que cumpro, é meu empresário, são meus advogados. Sempre que fui convidado, eu participei", garantiu.

Os diversos "causos" criados em torno do jogador em sua passagem pelo Flamengo também foram, em sua maioria, rechaçados pelo jogador. Somente um, ocorrido no ano passado, Ronaldinho não nega. Durante um período de treinamentos em Londrina (PR), ele foi flagrado por câmeras entrando no quarto de uma mulher no hotel da concentração, fato que estremeceu sua relação com o técnico Vanderlei Luxemburgo. Segundo R10, era só uma amiga.

"Desde que cheguei ao Flamengo, sempre tive a mesma conduta. Nos sete meses que foram só vitórias, não tinha história nenhuma. Quando não começou a perder, começaram a procurar motivos e inventar muita coisa. Não levei ninguém na concentração, encontrei uma menina que já conhecida no hotel, falei com ela normalmente. Fui no quarto dela, conversei, não tem nada a ver com a saída do Vanderlei. Nunca discuti com nenhum treinador", declarou.

Fonte: UOL