Sanches, presidente do Corinthians, volta a pedir paciência à torcida sobre a Libertadores

Sanches, presidente do Corinthians, volta a pedir paciência à torcida sobre a Libertadores

Apesar dos reforços de peso, presidente não promete título, mas prevê sucesso no futuro com sequência no torneio

 A cada dia que passa, cresce a ansiedade no Corinthians pela disputa da Taça Libertadores, grande sonho de consumo de diretoria e torcida no ano do centenário. Apesar de toda a expectativa que cerca o clube pelo alto investimento para sair da fila de títulos da competição, o presidente Andrés Sanches volta a pedir para que todos controlem os ânimos e evita tratar o torneio como obsessão.

- Nós sabemos que, para ganhar a Libertadores, tem que se acostumar a disputá-la. O Corinthians não pode disputar a cada cinco ou seis anos. Se disputar de novo no ano que vem e depois em 2012 de novo, um ano vai ganhar. O torcedor tem que ter paciência. Vamos disputar com grandeza e vontade. Se vamos ganhar ou não, o tempo vai dizer – afirmou. O discurso cauteloso do presidente tenta evitar um clima ruim com a torcida em caso de fracasso.

Em 2006, com o time repleto de estrelas, o Timão foi eliminado logo nas oitavas-de-final, perdendo para o River Plate-ARG, em pleno Pacaembu. Na ocasião, a Fiel se revoltou e tentou invadir o gramado para agredir os atletas.

Andrés Sanches acredita que o Corinthians precisa se adaptar também às características do torneio. Esta será apenas a oitavo vez que o Timão disputará a competição. A melhor campanha aconteceu em 2000, quando ficou em quarto lugar, perdendo nas semifinais para o arquirrival Palmeiras. - É um campeonato diferente, com arbitragem diferente, campos diferentes e clima diferente. Tudo isso afeta os atletas – completou o dirigente.

Fonte: g1, www.g1.com.br