Santos teme ausência de Ganso no jogo contra o Corinthians

Santos teme ausência de Ganso no jogo contra o Corinthians

Por conta disso, o treinador já estuda a possibilidade de improvisar o veterano Léo, que terá a responsabilidade de atuar como o ‘garçom’ do time.

O técnico Muricy Ramalho trabalha com a hipótese de Ganso não atuar contra o Corinthians nos dois jogos da semifinal da Copa Libertadores da América, que acontecerão nos dias 13 e 20 de junho. Por conta disso, o treinador já estuda a possibilidade de improvisar o veterano Léo, que terá a responsabilidade de atuar como o ?garçom? do time, servindo Neymar e companhia.

Muricy e Léo já conversaram sobre a ideia. Enquanto o treinador não tem muitas opções no setor, o lateral de 36 anos procura voltar ao time titular, já que perdeu espaço por causa de lesões e a chegada de Juan.

?Amadureço sim, comecei como meia, estou tranquilo. Eu tive problema sério no começo do ano e me prepararei. Não tem por que fazer biquinho, quando o grupo precisa, eu me dedico, treino. Quem sabe eu possa aparecer, pés no chão e respeitando meus companheiros?, afirmou Léo.

Após o duelo contra o Vélez Sarsfield, da Argentina, Léo ganhou força para ocupar a vaga de Ganso. O veterano deu assistência para Alan Kardec marcar o gol salvador do Santos, e ainda bateu a última cobrança na decisão por pênaltis. Após fazer o gol que classificou o time, o lateral foi exaltado pela torcida nas arquibancadas.

Além disso, Muricy enfrenta dificuldades para encontrar um substituto para Ganso, já que a diretoria liberou Ibson para o Flamengo e Bernardo não pôde ser inscrito na Libertadores. Caso não opte por Léo, o técnico santista só terá mais duas opções ? Felipe Anderson e Gerson Magrão.

?O Léo tem tranqüilidade, visão boa. Tem possibilidade sim, ele nunca jogou ali, mas marcar forte, é uma possibilidade boa. Ele foi bem contra o Bahia, e técnico vive dessas coisas. Jogador me convence jogando e treinando?, disse Muricy.

Ganso passará por uma artroscopia na manhã desta sexta-feira e só deve ser liberado pelo departamento médico em três semanas. A expectativa dos médicos é que o meia seja liberado no dia 15, dois dias após o primeiro jogo da semifinal. Sendo assim, o atleta teria menos de uma semana para iniciar os treinos físicos e depois com bola.

Fonte: UOL