São Paulo anuncia que passará a pagar salário para Oscar

O jogador está sem entrar em campo desde que determinação da Justiça Trabalhista refez seu contrato

Horas após conseguir decisão favorável no Tribunal Superior do Trabalho, o São Paulo anunciou que passará a pagar ao meia Oscar salários no mesmo valor que recebe atualmente do Internacional. O jogador está sem entrar em campo desde que determinação da Justiça Trabalhista refez seu contrato junto ao clube do Morumbi, além de sua inscrição na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e na Federação Paulista de Futebol (FPF).

"(...) Para que se sinta livre de pressões e não tenha qualquer prejuízo patrimonial, o São Paulo Futebol Clube comunicará que, por liberalidade e ato unilateral, passará a depositar na conta corrente do Atleta o mesmo valor do salário que o Atleta recebia no último clube de (sic) defendeu, conforme informações trazidas aos autos do processo pelo próprio jogador", afirmou o São Paulo em nota oficial.

Nesta quarta-feira o TST decidiu por meio do ministro Renato de Lacerda Paiva a improcedência do pedido de Oscar para que pudesse retornar a jogar pelo Internacional. Com isso, o meia só voltará a ser funcionário do clube gaúcho em caso de vitória no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP) ou de acordo com o São Paulo.



O time do Morumbi, por sua vez, segue afirmando que pretende voltar a contar com o jogador, como explicado na nota publicada. "Essa não é uma briga entre clubes, nem uma briga do nosso Clube com o Atleta que admiramos", declarou o São Paulo, que afirmou que o caso é "histórico".

"Sem prejuízo, aproveitamos para reiterar nosso respeito e admiração profissional pelo Atleta Oscar, que foi formado nas esteiras do São Paulo Futebol Clube e que acabou sendo colocado, por aqueles que deveriam orientá-lo, no centro de uma lide histórica na qual se discute não apenas o contrato assinado, mas o próprio nível de segurança que os clubes nacionais gozam frente à conduta predatória de terceiros, alheios à relação de emprego."

Entenda o caso

Oscar entrou na Justiça contra o São Paulo no final de 2009, alegando atraso de vencimentos e que também teria sido coagido a emancipar-se e assinar um contrato aos 16 anos, quando ainda era menor de idade. Assim, a renovação do vínculo foi desfeita por decisão da juíza Eumara Nogueira Borges Lyra Pimenta, da 40ª Vara do Trabalho de São Paulo, em 14 de junho de 2010, e Oscar pôde transferir-se à equipe colorada.

A Justiça ainda negaria uma liminar do São Paulo no mês de setembro de 2010, mas o clube apelou. O clube paulista só conseguiu uma vitória contundente em 21 de março de 2012, quando decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), do juiz relator Nelson Bueno de Prado, determinou que o contrato do jogador com o clube paulista fosse restabelecido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e pela Federação Paulista de Futebol (FPF).

No mesmo dia a Federação Gaúcha de Futebol (FGF) notificou o Internacional de que não poderia contar com Oscar tanto na disputa da Copa Libertadores quando no Campeonato Gaúcho. Ele segue sem atuar profissionalmente desde então. Ainda que a Justiça Trabalhista determine que o meia volte ao São Paulo, Oscar segue treinando em Porto Alegre.

O TRT determinará nos próximos dias o parecer final sobre o caso. Enquanto isso, o Internacional busca resolver o caso diretamente com o São Paulo. O clube gaúcho se reuniu com dirigentes paulistas e fez uma proposta pelo meia com valores pouco superiores a R$ 7 milhões, mas o clube do Morumbi recusou a oferta, avisando que aceita somente R$ 17 milhões e que pretende contar com o atleta.

Oscar, que pelo Internacional conquistou o título da Copa Libertadores da América de 2010 e a Recopa em 2011, está entre os 52 jogadores convocados por Mano Menezes para a disputa da Olimpíada de Londres com a Seleção Brasileira.

Fonte: Terra