São Paulo derrota Vitória por 2 a 0 no Morumbi e retoma a liderança do Brasileirão 2009

O São Paulo está muito perto de conquistar o heptacampeonato

O São Paulo está muito perto de conquistar o heptacampeonato. O time, que começou o Brasileirão 2009 devagar, tropeçando muito, deu neste domingo um passo decisivo para conquistar seu sétimo título nacional, o quarto consecutivo, ao vencer o Vitória por 2 a 0, no Morumbi. Nem a discussão entre André Dias e Hugo, que chegaram a se agredir no primeiro tempo, tirou o brilho da vitória tricolor.

Com o triunfo, o São Paulo vai a 62 pontos e abre três de vantagem sobre o Palmeiras, faltando apenas três rodadas para o fim da competição. Já o Vitória, com 44 pontos, segue em 13º lugar.

O São Paulo volta a jogar no próximo domingo, contra o Botafogo, às 17h, no Engenhão, no Rio. Já o Vitória, também no domingo, mas às 19h30m, enfrentará o Barueri, no Barradão, em Salvador.

Tapas e gols

Um jogo quente, com clima de final. Pelo menos para o São Paulo, que jogava para assumir a liderança isolada do Brasileirão. Os tricolores dominaram boa parte do primeiro tempo, com 55% de posse de bola, oito finalizações, contra três do Vitória, e quatro chances claras de gol. O time baiano teve apenas uma. E foi justamente nesse lance de perigo do Leão que o clima entre os são-paulinos esquentou.

Aos 15 minutos, Ramón cobrou faltou falta da esquerda. Rogério Ceni defendeu com os pés e, na sobra Washington afastou o perigo mandando a bola para escanteio. Hugo e André Dias começaram a discutir rispidamente. Um acusando o outro de ter falhado no lance. O zagueiro deu um soco no queixo do meia, que, na resposta, acertou um tapa no rosto do companheiro. Eles foram contidos pelo volante Arouca, mas levaram o amarelo.

Esse lance, porém, não fez com que o São Paulo perdesse a linha. O time seguia em cima, trocando passes e envolvendo o adversário, que tentava explorar os contra-ataques armados por Ramon. Gláucio até conseguia receber em condições na frente, mas as jogadas não seguiam.

Aos 24, o gol tricolor, que estava maduro, saiu. Hernanes lançou Jorge Wagner na esquerda. O meia, em posição duvidosa, dominou e virou para Washington, que entrava pela direita. O camisa 9 recebeu na mesma linha da zaga, fez jogada individual e chutou cruzado. Viafara espalmou, mas a bola sobrou para o próprio Jorge Wagner, que estufou a rede num chute de esquerda. Na comemoração, Hugo e André Dias se abraçaram e fizeram as pazes.

O Morumbi explodiu. A tensão dos tricolores deu lugar a uma euforia que se traduziu no coro:

- O campeão voltou, o campeão voltou.

Hugo garante

O São Paulo tratou de garantir sua vitória logo no início do segundo tempo. Aos três minutos, Hernanes roubou a bola pela direita e cruzou para a pequena área. Hugo entrou como um raio pelo meio da defesa do Leão e cabeceou firme. Viafara, como no lance do primeiro gol, não conseguiu segurar. Ele chegou a bater na bola, mas não o suficiente para impedir que ela entrasse. Assista ao gol no vídeo.

O gol tranquilizou o São Paulo. O Vitória não conseguia armar jogadas. Tentava trocar passes, mas sem conseguir se aproximar do gol defendido por Rogério Ceni. Assim, o Tricolor tinha tranquilidade e espaço para atacar. Hernanes, livre, ditava o ritmo da equipe da casa. Aos 22, o camisa 10 arrancou, invadiu a área pela direita e acertou um chute rasteiro. Viafara mandou para escanteio.

Rogério só foi trabalhar aos 29, num chute de fora da área de Neto Berola. Bem colocado, o capitão tricolor defendeu sem muita dificuldade. O Vitória se resumia nisso: chutes de longe. O São Paulo se fechava muito bem e dificultava as ações adversárias.

O Vitória, a partir dos 30, parou de atacar e deu campo para o São Paulo criar várias chances. Algumas delas, muito boas. Aos 43, Washington desperdiçou uma incrível. Marlos entrou pela esquerda e cruzou rasteiro, na medida, para o camisa 9. Era só escolher o canto e estufar a rede. Mas ele conseguiu errar.

Como a chance perdida não fez falta, a torcida nem ligou. Os tricolores preferiram exaltar a vitória e a proximidade do título.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com