São Paulo só empata com o Grêmio no Olímpico e lidera o Brasileirão com 59 pontos

Com a igualdade, a equipe paulista chegou a 59 pontos, um a mais que o Palmeiras

O São Paulo terminou o jogo contra o Grêmio com oito homens em campo, após as expulsões de Borges, Dagoberto e Jean. Mas alcançou seu objetivo: assumir a liderança do Campeonato Brasileiro, mesmo que de forma provisória. No duelo tricolor no Olímpico na noite desta quarta-feira, na abertura da 34ª rodada do Nacional, o empate por 1 a 1 - gols de Rafael Marques, para o time gaúcho, e Dagoberto, para o paulista - foi comemorado pelos visitantes. E não pelo time de casa, que, apesar de manter a invencibilidade de mais de um ano em casa, ficou mais distante da vaga na Taça Libertadores.

Com a igualdade, a equipe paulista chegou a 59 pontos, um a mais que o Palmeiras. Mas o Alviverde e o Atlético-MG, com 56, podem empurrar o atual primeiro colocado para baixo no domingo, quando enfrentam Fluminense e Flamengo, respectivamente. O Tricolor gaúcho está agora com 48 pontos e segue em sétimo lugar. O São Paulo só volta a jogar em dez dias, contra o Vitória , no Morumbi (dia 14). E o Grêmio, na mesma data, encara o Cruzeiro em Belo Horizonte.

Tudo igual no primeiro tempo: 1 a 1

Foram dias complicados para o gremista Rafael Marques. No domingo, fez um gol contra de cabeça na derrota por 2 a 0 para o Santo André. Depois, declarou que aceitaria a chamada ?mala branca? e recebeu um puxão de orelha da diretoria do clube. Pois chegou a quarta-feira, e o filme mudou para ele. Foi aos 24 minutos, em cruzamento de Douglas Costa: novamente de cabeça, novamente para o fundo do gol, mas desta vez para o lado certo, o zagueiro colocou o Grêmio na frente.

Até ali, era um primeiro tempo equilibrado, de velocidade, de boas alternativas ofensivas. O Grêmio usava o lado esquerdo para atacar, esperançoso de transformar a linha de fundo em perigo aéreo. O gol de Rafael Marques foi o 18º do time gaúcho de cabeça, líder do quesito no Brasileirão, ao lado do Santos. O São Paulo preferia manter a bola no chão para aproveitar a qualidade técnica, especialmente de Hernanes e Jorge Wagner. O trabalho da equipe de Ricardo Gomes foi facilitado por repetidos erros de passe do Grêmio.

Cada qual com sua característica, gaúchos e paulistas criaram chances. Dois chutes de Hernanes e um cruzamento perigoso de Jorge Wagner quase viraram gol. Conclusões de Maxi López, Tcheco e William Thiego representaram esperança para os gremistas. E aí saiu o gol de Rafael Marques para dar aos mandantes uma vantagem que só durou sete minutos.

O São Paulo sempre esteve vivo. E provou sua força aos 31 minutos. André Dias acionou Hernanes na direita. De pé esquerdo, o camisa 10 mandou a bola na área. Thiego foi encoberto. Dagoberto dominou, mirou o gol e mandou chute forte. A bola desviou de leve em Rafael Marques e saiu do caminho de Victor. Atrás do outro gol, a torcida são-paulina demorou um segundo para perceber que a bola havia entrado. Quando caiu a ficha, quebrou o silêncio do Olímpico com barulho de festa. O jogo estava novamente empatado: 1 a 1.

Washington ainda teve boa chance para virar o placar. O atacante recebeu pela esquerda e mandou cruzado, com perigo, mas para fora. Ainda no primeiro tempo, Maxi López pediu pênalti de André Dias, mas a arbitragem mandou seguir o lance.

Com três expulsos, São Paulo mantém o resultado

O São Paulo voltou mais arisco no segundo tempo, ciente do quanto valeria uma vitória para a ambição de ser campeão brasileiro. Hernanes, em cobrança de falta aos três minutos, obrigou Victor a cair no canto para espalmar a bola a escanteio. O Grêmio, sem nada a perder, também estava disposto a arriscar. Douglas Costa, aos 11, partiu em disparada e mandou a bomba. Rogério Ceni salvou. Um minuto depois, foi a vez de Maxi López incomodar o goleiro são-paulino. E o arqueiro pegou de novo.

Ricardo Gomes mexeu no time. Tirou Washington, paradão, e testou Borges. A troca quase surtiu efeito de imediato. O centroavante se livrou da zaga e mandou o chute. Victor defendeu.

O jogo pegou fogo. Douglas Costa, de cabeça, teve o gol impedido por Rogério Ceni em cima da linha. Tcheco, em disputa com Jean dentro da área, foi ao chão. O árbitro não deu pênalti. A torcida do Grêmio ficou revoltada. Mas quer perdeu a cabeça em seguida foi o São Paulo.

Foram duas expulsões quase em sequência e uma terceira nos minutos finais. Primeiro, Borges, aos 33, que acertou Túlio em disputa de bola, levou o segundo amarelo e foi para a rua. Um minuto depois, Dagoberto, que recebeu vermelho direto por um carrinho por trás também em Túlio.

Paulo Autuori agiu logo e mandou o time para o ataque. Herrera foi a campo. Perea já havia entrado. Totalmente ofensivo, o Grêmio fez de tudo para vencer. Jean completou o trio de vermelhos do time visitante aos 48 minutos, por uma falta por trás em Souza perto da área. Como já tinha o amarelo, foi embora mais cedo.

O Grêmio pressionou nos minutos restantes, mas não conseguiu o desempate. Sólido na defesa, o São Paulo manteve a igualdade e sustentou um resultado que vale ouro. Ou mais: que pode ajudar a valer o título brasileiro.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com