São Paulo faz dois e começa bem o Paulistão

Em teste para Libertadores, Luis Fabiano e Jadson garantem triunfo na estreia no Paulistão. Ceni e travessão salvam equipe no segundo tempo

O São Paulo começou a exibir neste sábado sua nova faceta para a temporada 2013. O time que vivia em função da velocidade de Lucas joga agora na cadência de Paulo Henrique Ganso. Com uma bela atuação do maestro no primeiro tempo e grandes defesas de Rogério Ceni no segundo, o Tricolor iniciou o Campeonato Paulista com uma vitória por 2 a 0 sobre o Mirassol, no Morumbi.


São Paulo faz dois e começa bem o Paulistão

O gol marcado por Luis Fabiano no início do primeiro tempo mostrou claramente como Ney Franco quer a equipe. A correria deu lugar aos toques rápidos para envolver a defesa rival. Nisso, Ganso é mestre. De costas, deu um passe genial para Osvaldo cruzar e o Fabuloso finalizar.

O São Paulo, porém, sentiu a falta de ritmo e de entrosamento, principalmente no segundo tempo, quando foi dominado. A equipe chegou a ser pressionada pelo Mirassol, mas se agarrou às defesas de Rogério Ceni e ao travessão para evitar um tropeço logo na primeira partida do ano. Jadson tirou a equipe do sufoco a dez minutos do fim, em jogo que marcou a estreia de Lúcio na zaga - Aloísio entrou no segundo tempo, assim como Cañete, recuperado de lesão.

Apesar do discurso de levar o estadual a sério, a partida serviu como mais um teste para o grande alvo da temporada. Na quarta-feira, o time tricolor estreia na fase prévia da Taça Libertadores, diante do Bolívar, às 22h, também em casa ? o decisivo duelo está marcado para dia 30 de janeiro, em La Paz. O vencedor entrará no Grupo 3, com Arsenal, The Strongest e Atlético-MG.

O Mirassol tentará reagir em sua primeira partida em casa. O clube recebe o União Barbarense, quinta-feira, às 19h30m.

Gol no início facilita para o Tricolor


São Paulo faz dois e começa bem o Paulistão

A postura defensiva do Mirassol, todo recuado em seu campo, permitiu que o São Paulo tivesse uma amostra do que possivelmente enfrentará diante dos bolivianos. O time do interior do estado tentou travar o meio de campo para impedir que os dois armadores do Tricolor criassem.

Jadson e Ganso, porém, agradaram de maneira geral. Depois de alguns lances em que embolaram o posicionamento e se confundiram, a dupla se acertou aos poucos. O baixinho nem de longe tem o mesmo poder de Lucas para abrir a defesa pelo lado direito, mas a troca de passes rápidos com Paulo Henrique gerou espaços.

O gol teve a cara do novo São Paulo, aos 12 minutos. Ganso recebeu de Luis Fabiano e de costas acertou um impensável passe de calcanhar para Osvaldo. Na velocidade, o atacante invadiu a área pela esquerda e cruzou para o Fabuloso desviar no canto direito do goleiro Diego.

O Mirassol tentou reagir, chegou a aparecer algumas vezes na área, mas em nenhuma com chance clara para marcar. Lúcio passou segurança na defesa, errando muito pouco. De quebra, ainda arriscou uma subida ao ataque aparecendo como um centroavante.

O São Paulo, contudo, diminuiu o ritmo depois de ficar em vantagem. A melhor chance veio novamente com o camisa 9, que perdeu o equilíbrio ao driblar o goleiro após belo passe de Osvaldo.

Mirassol cresce na etapa final

A desvantagem fez o Mirassol se arriscar mais e dar trabalho ao São Paulo na etapa final. Com as peças mais adiantadas, a equipe vestida de amarelo passou a dominar. Jadson e Ganso caíram de rendimento e não conseguiram tirar o Tricolor do campo defensivo.

Não fosse Rogério Ceni, que completará 40 anos na terça-feira, o jogo teria se complicado para o time da capital. Primeiro, ele fez grande defesa em chute de Rodrigo Possebon na área. Em seguida, evitou o gol de empate em forte cabeçada de Gian.

Percebendo a dificuldade para segurar a bola no ataque, Ney Franco optou por sacar Luis Fabiano e Ganso para colocar Aloísio e Cañete, respectivamente. Antes mesmo de a troca fazer efeito, o Mirassol, mais uma vez, quase igualou o placar. Alex Silva acertou uma bomba no travessão.

O cansaço também chegou aos visitantes. São Paulo conseguiu equilibrar a partida nos 15 minutos finais. Cañete, que já havia pedido pênalti em toque de mão de Welton Felipe em um lance anterior, acertou a trave esquerda com um forte chute. Aos 35, Jadson assegurou o triunfo ao receber de Denilson e bater rasteiro no canto direito de Diego.

Fonte: GloboEsporte.com