São Paulo obtém liminar para ficar com T. das Bolinhas

São Paulo afirma que não dividirá a taça, como chegou a sugerir o presidente

A longa novela sobre a Taça das Bolinhas ganhou mais um capítulo nesta quarta-feira. O São Paulo anunciou que obteve uma liminar para continuar com o troféu, que é também pretendido pelo Flamengo. O vice-presidente jurídico do clube paulista, Kalil Rocha Abdalla, avisou que o objeto não será devolvido para a Caixa Econômica Federal.

"Entramos com ação pedindo a manutenção, e o juiz deu uma liminar para não tirarem a taça. Havia uma briga entre Flamengo e Sport que foi julgada, não cabe recurso. Portanto, se o campeão de 1987 é o Sport, a taça é do São Paulo", comentou o dirigente.

A decisão citada por Abdalla foi a obtida pelo Sport em 1999, que o declarou campeão nacional do polêmico campeonato de 1987. Com isso, a 15ª Vara Cível da Justiça Federal confirmou nesta quarta que a Taça das Bolinhas deve continuar com o São Paulo até o desfecho do caso.



Apesar de o próprio presidente do time tricolor, Juvenal Juvêncio, já ter admitido a hipótese de fazer uma réplica para dividir com o Flamengo, Abdalla descartou tal possibilidade. "Nós não vamos dividir com ninguém, a Taça é do São Paulo", completou.

Entenda o caso:

A Taça das Bolinhas é um troféu idealizado pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD), atual CBF, juntamente à Caixa Econômica Federal, que premiaria o primeiro clube a ser cinco vezes campeão brasileiro de forma alternada ou três consecutivas.

Por ter ganho o quinto título nacional em 2007, o São Paulo recebeu o troféu, após a entidade máxima do futebol nacional definir como "impossível" o reconhecimento da conquista do Flamengo.

Mas, como o caso teve uma reviravolta e o Flamengo teve o título de 1987 reconhecido oficialmente pela CBF, o clube carioca passou a ser considerado penta em 1992, quando bateu o Botafogo na final.

Com isso, entrou com pedido para ser reconhecido como o detentor legal da taça. São Paulo e o clube carioca travam uma batalha pelo troféu.

Fonte: Terra, www.terra.com.br