São Paulo testa sua reação pós-crise contra Atlético-MG

Hoje, em Sete Lagoas, os zagueiros Miranda e Rhodolfo, além do atacante Fernandinho, serão desfalques.

O São Paulo teve uma semana e meia para se preparar para a partida contra o Atlético-MG, que define quem será o novo líder do Brasileiro. Tempo que, na teoria, seria suficiente para recuperar os jogadores que vinham em má condição física e deixá-los aptos para esta noite. Tempo que, na prática, não conseguiu resolver esses problemas, aumentando a impressão de que esta jovem equipe é "de vidro".



Hoje, em Sete Lagoas, os zagueiros Miranda e Rhodolfo, além do atacante Fernandinho, serão desfalques. O primeiro, que irá para o Atlético de Madri no fim do mês, ainda se recupera de entorse no tornozelo esquerdo, sofrida no início de maio.

Miranda chegou a participar de treinos entre o último jogo (vitória sobre o Figueirense, no dia 28) e hoje, mas voltou a sentir dores - que também afligem Rhodolfo e Fernandinho, que vêm acumulando contusões consecutivas e não conseguem mais emendar partidas e ganhar ritmo de jogo.

Das 30 partidas do São Paulo no ano, cada um deles participou de 18 --o zagueiro chegou do Atlético-PR já na metade de fevereiro. Até mesmo alguns reservas, como Marlos, Xandão e Ilsinho, jogaram mais na temporada.

Em cerca de um mês e meio, Rhodolfo sofreu três contusões musculares. A última foi no jogo-treino contra o sub-20 do clube, na quinta. Ele também deve ficar fora contra o Grêmio, sábado. Fernandinho, que ficou parado por 45 dias devido a uma fratura na fíbula da perna direita, é outro que não consegue escapar das lesões. Agora, são dores na panturrilha direita que o incomodam.

Até quem não está acostumado aos problemas físicos tem se deparado com eles nesta fase. Rogério, que hoje completa sua centésima partida consecutiva sem desfalcar o time, tem se sacrificado para atingir a meta.

O goleiro torceu o tornozelo esquerdo na estreia no Brasileiro, dia 22. Pouco treinou desde então, apesar de ter enfrentado o Figueirense no fim de semana seguinte. Rogério tem passado a maioria dos dias no Reffis (centro de reabilitação do clube) e seus treinos em campo têm sido mais leves.

Apesar dos problemas, o São Paulo conseguiu encontrar paz após o turbilhão causado pela queda na Copa do Brasil. Venceu os dois jogos que fez na Série A e é o único que ainda não sofreu gols. A solidez desse vidro anti-crise será testada contra outro time com 100% de aproveitamento. Quem vencer vai a nove pontos e se isola na ponta. Em caso de empate, o saldo de gols deixará o Atlético-MG no topo da tabela.

Fonte: Folha.com