Se eles são gays o problema é deles, diz Cassano sobre jogadores da seleção Italiana

– O que é um metrossexual? Seja simples – indagou, antes de disparar a falar.

O sorriso de diversos jornalistas ao verem Antonio Cassano chegar para a coletiva já era um indício de polêmica. O atacante do Milan e da seleção italiana fugiu de todo o protocolo e concedeu uma entrevista nada convencional. Em vez da tradicional frase ?buscar os três pontos? contra a Croácia, próxima adversária pelo Grupo C da Eurocopa 2012, o jogador de 29 anos aqueceu o assunto sobre gays na seleção. Falou abertamente sobre o caso na Casa Azzurri, em Cracóvia, o que lhe rendeu uma pequena dor de cabeça.

Quando perguntado sobre a existência de metrossexuais e homossexuais entre os 23 atletas concentrados, o companheiro de Alexandre Pato, Robinho e Thiago Silva no clube rossonero sorriu ironicamente. Ele já sabia que deveria ter cuidado com a resposta depois de o técnico Cesare Prandelli o ter avisado da possibilidade de o tema voltar à tona.

? O que é um metrossexual? Seja simples ? indagou, antes de disparar a falar.

? Se eles são ?frocio? (termo vulgar em italiano para se referir a gays), o problema é deles. Eu espero que não exista qualquer ?frocio? na seleção. Mas se eles são isso, é com eles. Não sei se existe alguém. Deixo assim, caso contrário, já sabem, virão os ataques de todas as partes ? despistou, antes de emendar para o tradutor ao lado. ? Você não vai traduzir isso para a imprensa polonesa, né?

Cesare Prandelli, que havia escrito em abril um prólogo sobre a homossexualidade no mundo do esporte, acabou surpreendido com as reações públicas. Na época, o treinador reforçou que considera a homofobia uma forma de racismo.

? No futebol e no esporte ainda existe um tabu sobre a homossexualidade, quando as pessoas deveriam viver livres de acordo com seus próprios desejos e sentimentos. Quando falamos de amor e sentimentos, o povo deveria poder amar quem quisesse ? afirmou.

Para jornalista, dois dos 23 jogadores são gays

O assunto, obviamente, não é uma novidade na Azzurra. O jornalista e apresentador Alessandro Cecchi Paone, da Sky Italia e homossexual assumido, declarou recentemente em uma entrevista que há dois gays na seleção.

? Eu tive um relacionamento com um dos jogadores, e ele me disse quem era o outro gay, o que explica por que eu sei que são dois. Prandelli sabe quem são os homossexuais. Sobre quando eu disse que há três metrossexuais, foi um elogio a Sebastian Giovinco, Ignazio Abate e Riccardo Montolivo ? revelou à ?Radio 24?.

Especula-se, no entanto, que o último seja um dos homossexuais. Montolivo, de 27 anos, defendeu a Fiorentina entre 2005 e 2012 e será reforço do Milan de Cassano para a próxima temporada.

O atacante Antonio Di Natale e o presidente da Associação Italiana de Jogadores, Damiano Tommasi, também se pronunciaram pedindo para que os gays mantenham o anúncio escondido ao menos até o fim de suas carreiras, temendo uma ?represália?.

Polêmica rende um comunicado

Com as declarações já na boca do povo, Cassano teve de emitir um comunicado para acalmar o furor diante das críticas recebidas através da mídia e redes sociais.

? Quero pedir sinceras desculpas se os meus comentários provocaram polêmica e protestos entre as associações dos direitos homossexuais. A homofobia não é algo que faz parte da minha natureza. Não quis ofender ninguém e absolutamente não quero colocar nenhuma opção sexual sob coação. Eu apenas disse que é um problema que nada tem a ver comigo. Não julguei as escolhas dos outros, que devem ser respeitadas ? encerrou.


Se eles são gays o problema é deles, diz Cassano sobre jogadores da seleção Italiana

Fonte: Globo Esporte