Seleção brasileira aposta em marcação no ataque para amistoso em SP

Seleção aposta em marcação no ataque e faz goleiro Diego Alves virar espectador em treino

A tática não resultou no ouro na Olimpíada, mas levou a seleção até a final. Essa é a ideia de jogadores e da comissão técnica ao fazer os jogadores repetirem o esquema de marcação já no amistoso nesta sexta-feira, diante da África do Sul. Para compensar a escalação de quatro jogadores com características puramente ofensivas, Mano Menezes forçará seus atletas a marcarem pressão desde a saída de bola do adversário.


Seleção brasileira aposta em marcação no ataque para amistoso em SP

Já foi assim no primeiro treino de 11 contra 11 em Cotia, realizado na tarde da última quarta-feira. A bola era distribuída por Jefferson, e Neymar e Leandro Damião davam o primeiro combate, para, logo em seguida, Lucas e Oscar entrarem em ação. O resultado é que dificilmente a bola chegava a forçar David Luiz e Dedé a trabalharem, assim como o goleiro Diego Alves, que tocou na bola apenas para cobrir lançamentos de escanteio ou em jogadas já paralisadas por impedimento. Outro fator que ajudou também foi o fato dos reservas terem jogadores da base do São Paulo.

"Com certeza os torcedores já esperam por isso. A gente já vinha fazendo isso antes da Olimpíada e, durante, também jogamos com a marcação lá em cima. Apesar de algumas derrotas no meio do caminho, a gente vai repetir a fórmula, vamos buscar o resultado jogando à frente. No Morumbi não vai ser diferente e vamos buscar sempre o resultado", disse Oscar na coletiva de imprensa antes mesmo do treinamento realizado.

O sistema força a principal estrela da seleção, o atacante Neymar, a ter uma característica diferente da que tem no Santos. No time de Muricy Ramalho, o jogador marca, mas não é tão fundamental como será sob o comando de Mano Menezes.

O jogador admite que isso mudará um pouco as suas características e que, para isso, ainda falta um pouco de treino. "Há uma diferença entre jogar aqui (seleção) e no Santos por causa do entrosamento. Os jogadores já sabem como eu jogo no Santos, conhecem o meu posicionamento e sabem o que eu faço quando estamos sem a bola e quando a gente rouba para o contra-ataque. Mas, aqui, aos poucos, eles vão vendo como eu jogo e as coisas vão começar a funcionar. Daqui a pouco tudo, volta ao normal", disse ele.

Se repetir o time do treino para o amistoso de sexta-feira, Mano Menezes escalará o seguinte time para entrar em campo às 15h45 desta sexta-feira: Diego Alves; Adriano, Dedé, David Luiz e Marcelo; Ramires (Paulinho), Rômulo, Oscar e Lucas; Neymar e Leandro Damião. O titular da lateral direita, Daniel Alves, ainda é dúvida por causa de problemas na coxa esquerda.

Mais do que vencer, esse time tem a responsabilidade de convencer os brasileiros de que a seleção brasileira merece o apoio. Para reaproximar o time da torcida, inclusive, o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) resolveu liberar 10 mil pessoas no Estádio do Morumbi no último treino do time antes do amistoso.

Fonte: UOL