Seleção feminina vence e fica perto da fase final

Seleção feminina vence e fica perto da fase final

Em jogo de muitos ralis, as brasileiras conseguem três pontos com os 3 sets a 1 no placar, em Macau

Em um jogo de muitos e sensacionais ralis, a seleção brasileira feminina de vôlei impôs sua maior categoria e derrotou a Holanda por 3 sets 1 (25/21, 21/25, 25/15 e 26/24), na madrugada deste sábado, em Macau. O resultado deu três pontos ao Brasil e deixou a equipe praticamente classsificada para a fase final do Grande Prix. Na madrugada deste domingo, às 4h30m (de Brasília), a seleção feminina volta à quadra para enfrentar a China, no mesmo local, e fecha sua participação na fase de Macau da competição.

O jogo começou equilibrado, mas com o Brasil na dianteira, com 8 a 5 na primeira parada técnica. Na volta, as brasileiras conseguiram abrir cinco pontos de vantagem, 10 a 5. O time de José Roberto Guimarães sacava bem e dificultava a vida das holandesas e foi a 12 a 7, mas deixou a equipe adversária encostar com três pontos seguidos. Com um jogo mais consistente, a seleção brasileira foi para a segunda parada técnica com a mesma diferença no marcador da anterior: 16 a 13.

Na volta à quadra, Sheilla, que já havia conseguido um ace antes, fez dois pontos seguidos de saque e o Brasil começou a deslanchar no marcador. Daí para fechar o primeiro set passou a ser questão de tempo. O último ponto demorou um pouco a sair quando o time brasileiro chegou ao 24º ponto e Zé Roberto chegou a pedir tempo quando estava 24 a 21. Numa largada de Sheilla o primeiro set foi conquistado: 25 a 21.

Holanda domina o segundo set

O Brasil começou mal o segundo set e deixou a Holanda abrir uma vantagem de quatro pontos: 6 a 2. Foi quando o técnico brasileiro pediu tempo, sem esperar pela parada técnica. Não adiantou muito, e com um voo do fundo da quadra e uma pancada forte de Flier, as holandesas foram para a primeira parada do set com 8 a 3 a seu favor.

As brasileiras reagiram novamente com Sheilla no saque e o bloqueio atento. Assim, a seleção voltou para o jogo, fazendo quatro pontos seguidos. Mas em dois erros na cobertura do bloqueio permitiram as holandesas abrirem três pontos de vantagem: 10 a 7. Neste momento, Zé Roberto pôs Jaqueline em quadra pela primeira vez na partida.

Nada melhorou e os erros brasileiros se sucederam. Com isso, a Holanda foi para a segunda parada técnica com o placar favorável de 16 a 10. O Brasil esboçou uma reação e o técnico Avital Selinger pediu um tempo para esfriar o jogo. Porém, a vantagem holandesa permanecia em cinco, quatro pontos. Baixou para dois em bloqueio de Sheilla no meio e cortada de Jaqueline na entrada de rede: 19 a 17 para a Holanda.

A seleção brasileira vacilou de novo e com dois pontos seguidos das adversárias, Zé Roberto voltou a pedir tempo. Não resolveu e as holandesas partiram para empatar o jogo, vencendo o segundo set por 25 a 21, novamente numa largada por trás do bloqueio brasileiro.

Brasileiras vencem com facilidade o terceiro set

O Brasil votou mais concentrado no terceiro set, marcou três pontos seguidos, não esmoreceu e ainda contou com erros das adversárias para chegar à primeira parada com larga vantagem: 8 a 1. Na volta ao jogo as brasileiras fizeram o nono ponto, mas permitiram que as holandesas fizessem três consecutivos.

A equipe de Zé Roberto retomou as rédeas da partida, deu algumas bobeiras, mas a vantagem era grande e foi para a segunda parada com 16 a 10 a seu favor. Sheilla se destacava como a maior pontuadora disparada do jogo, com 24 pontos (ela terminou com 33) e o Brasil foi mantendo a partida sob controle para fechar o terceiro set e fazer 2 a 1: 25 a 15.

Seleção reage no fim e fecha a partida em 3 a 1

O quarto set começou com a seleção brasileira fazendo o primeiro ponto, mas a Holanda virou e chegou a abrir 6 a 3, mas permitiu o empate e a virada do Brasil, que foi para a primeira parada técnica com 8 a 6 no placar. Aí a partida ficou lá e cá, mas sem que as campeãs olímpicas permitissem as holandesas dominarem o placar. Após Selinger parar o jogo, quando o Brasil vencia por 12 a 10, seu time voltou pior e ele ainda pediu outro tempo antes da parada técnica, quando perdia por 15 a 11. Pouco adiantou, a seleção brasileira foi para a segunda parada com a vantagem de 16 a 12.

No entanto, a volta brasileira foi muito ruim e as holandesas conseguiram empatar a partida em 16 a 16. Zé Roberto pediu tempo para arrumar o time, mas ele continuou como estava e a Holanda fez três pontos seguidos e abriu uma boa vantagem num importante momento do jogo: 19 a 16. O técnico brasileiro pediu tempo novamente, a seleção reagiu e depois de um rali espetacular fez seu vigésimo ponto e deixou a vantagem holandesa em apenas um ponto.

Para o Brasil era importantíssimo vencer o set e o jogo, porque com 3 a 1 ganharia três pontos. As holandesas conseguiram o set point com um ponto de vantagem, mas após outro rali, um erro holandês deu o empate para o Brasil, que virou em seguida e fechou a partida: 26 a 24.

Os times:

BRASIL - Dani Lins, Fabiana, Paula Pequeno, Thaisa, Mari e Sheilla. Líbero: Fabi. Entraram: Natália, Sassá, Jaqueline e Fabíola. Técnico: José Roberto Guimarães.

HOLANDA - Manon Flier, Francien Huurman, Chaïne Staelens, Maret Grothues, Caroline Wensink e Laura Dijkema, Nicole Koolhaas, Alice Blom. Líbero: Janneke van Tienen. Entraram: Debby Stam e Robin de Kruijf. Técnico: Avital Selinger.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com