Sem emprego, ex-ginasta Daiane encara pressão para se casar

Daiane deu adeus à seleção com a eliminação da ginástica feminina nas Olimpíadas.

Daiane dos Santos se dedicou 15 anos à ginástica e dividiu seu tempo entre treinos, viagens e competições. Prestes a se aposentar, ela começa a planejar o futuro e a priorizar a vida pessoal. A ginasta de maior sucesso no Brasil estuda propostas de trabalho e encara a pressão do namorado para se casar.


Sem emprego, ex-ginasta Daiane encara pressão para se casar

Daiane completou 29 anos, está deixando a carreira de atleta e já divide teto com o namorado, o lutador de MMA Ramon Martins. Não tem mais desculpas para adiar os planos de trocar alianças e ter filhos. Mas ainda adota cautela.

?Falo para ele ?não tenho emprego?. Eu prefiro ir com calma. Para ele, já estávamos casados. Eu que estou enrolando um pouco?, brincou a atleta, sobre a aposentadoria que vai se concretizar no fim do ano. Pouco depois, ela adota tom sério para falar sobre o assunto. ?Quero muito, mas sou meio cautelosa mesmo?.

Ao contrário da namorada, Ramon parece não querer esperar muito. Paciência ele teve para acompanha-la durante a cirurgia, guiar a cadeira de rodas e esperar as entrevistas, mesmo com um aparente cansaço. Mas quando o assunto é casamento, não esconde a ansiedade e até faz uma ?pressão?.

?Está na hora de casar?, disse ele, que tem 28 anos.

Além de se dedicar mais aos amigos e à família, Daiane estuda propostas de trabalho para quando deixar os tablados. A ginasta passou por uma artroscopia no joelho esquerdo nesta terça-feira e deve ficar em recuperação por um mês. Ainda pretende competir até o fim do ano pelo Pinheiros, quando termina seu contrato.

A partir do ano que vem, a intenção é se dedicar à gestão esportiva. Daiane faz mistério sobre os projetos e admite conversas com o Pinheiros para trabalhar como coordenadora. Ela ainda quer estudar e se aperfeiçoar mais após concluir o curso de Administração.

?Tem propostas que estão surgindo, coisas muito bacanas e que eu nem esperava. Mas nada concreto. Quero ficar no meio administrativo, não necessariamente só com a ginástica. Estou vendo possibilidades, não estou fechando portas. Preciso avaliar bem, ver o que gosto?, disse ela que quer trabalhar nas Olimpíadas no Rio de Janeiro. ?Depende do convite e não tive ainda. Quero estar no meio?, finalizou.

Fonte: UOL