Sem encanto da estreia de Mano Meneses, Seleção deslancha no fim e vence o Irã por 3 a 0

Sem encanto da estreia de Mano Meneses, Seleção deslancha no fim e vence o Irã por 3 a 0

Daniel Alves, em bela cobrança de falta, Alexandre Pato e Nilmar fizeram os gols.

Longe de apresentar o futebol envolvente da estreia de Mano Menezes, a Seleção Brasileiras sofreu em alguns momentos, mas jogou o suficiente para vencer o Irã por 3 a 0 nesta quinta-feira no Zayed Sports City Stadium, que recebeu um pequeno público na noite quente de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Daniel Alves, em bela cobrança de falta, Alexandre Pato e Nilmar fizeram os gols.

Com apenas um treino para fazer antes do amistoso, Mano apostou na base da equipe que se reuniu no mês de setembro em Barcelona e que venceu o Barcelona B por 3 a 0 em jogo-treino no período em questão. Em agosto, o técnico fez o primeiro jogo com a Seleção na vitória por 2 a 0 diante dos Estados Unidos em Nova Jersey, em bela exibição do conjunto verde e amarelo.

Mano sentiu a falta de uma referência no meio-campo. Sem o camisa 10 Paulo Henrique Ganso, destaque contra os americanos, coube ao também jovem Carlos Eduardo fazer a função, com menos brilho que o santista.

A Seleção viaja nesta sexta-feira para a Inglaterra, onde joga contra a Ucrânia na próxima segunda-feira na cidade de Derby. No dia 17 de novembro, a equipe encerra a participação na temporada enfrentando a Argentina em Doha, no Catar.

O jogo - O Brasil demorou um pouco para entrar na partida. Sentindo o calor de 34° C da noite de Abu Dhabi, os jogadores foram surpreendidos pela pressão do Irã, que marcou em cima e controlou o início do duelo.

Aos 4min, Mohammed Gholami ajeitou dentro da área e fez o gol, mas o bandeirinha errou ao marcar impedimento. A torcida não desanimou e continuou apoiando a equipe asiática, que teve outros bons momentos mais por conta da desatenção da defesa brasileira do que por méritos próprios.

Até que uma falta no campo de ataque da Seleção mudou o rumo do jogo. Daniel Alves ajeitou a bola, se concentrou e bateu com categoria, no ângulo do goleiro Rahmati: 1 a 0 para o Brasil. Com o gol, a equipe de Mano Menezes se tranquilizou e tomou conta do confronto.

Ainda no primeiro tempo, Pato teve duas ótimas chances para ampliar a vantagem. Na primeira, recebeu de Robinho e finalizou, mas Heydari salvou em cima da linha. Na segunda, aproveitou o rebote de chute de Robinho na trave, mas mandou para fora, perdendo gol incrível sem goleiro.

Philippe Coutinho, que formou o trio de atacantes com Pato e Robinho e mais nova aposta da renovada Seleção, teve atuação apagada, pouco produziu e foi substituído pelo estreante Elias no intervalo, deixando o time no esquema 4-4-2.

Mesmo com a mudança no esquema, a Seleção novamente "cochilou" no começo da segunda etapa. Aos 3min, Nekonam apareceu na cara de Victor e acertou a trave. Na sequência, Ramires afastou o perigo da defesa brasileira.

Depois do susto, o Brasil voltou a dominar a partida e a perder muitos gols. Nilmar teve uma chance clara e Pato outra, mas pararam em ótimas defesas do goleiro Rahmati. Porém, os dois atacantes se redimiram em seguida. Primeiro foi Pato, que aos 23min, após tabela de Elias com Nilmar, ficou na cara do gol para fazer 2 a 0. Já nos acréscimos, Nilmar apareceu livre dentro da área para concluir cruzamento de André Santos e fechar o placar.









FICHA TÉCNICA

Brasil 3 x 0 Irã

Gols

Brasil: Daniel Alves, aos 13min do 1º tempo, e Alexandre Pato, aos 23min, e Nilmar, aos 46min do 2º tempo

Polêmicas de arbitragem

- Logo aos 4min de jogo, Ehsan Haj Safi levantou a bola em arremesso lateral, Jalal Hosseini desviou de leve e Mohammad Gholami chutou para o fundo da rede. No entanto, O gol foi invalidado por marcação polêmica de infração do ataque iraniano, que gerou protestos dos mandantes

Ponto Forte do Brasil

Algumas trocas de passes rápidas pelo lado esquerdo do ataque, nas subidas de André Santos, poucas arrancadas de Pato que levaram perigo aos iranianos, além da precisão de Daniel Alves, que definiu a partida em cobrança de falta

Pontos Fortes do Irã

Início de boa marcação e velocidade na saída de bola nos dois tempos, períodos em que conseguiram surpreender a defesa do Brasil e quase foram às redes, além de boas participações do goleiro Rahmati, autor de três defesas difíceis em chutes de Pato e uma de Nilmar

Pontos Fracos do Brasil

Falhas de finalização do ataque, lentidão na troca de passes no meio-campo e pouco uso dos laterais durante o primeiro tempo, além de desatenção da defesa em dois lances que quase saíram gols do Irã

Pontos Fracos do Irã

Erros de passes no meio-campo, lentidão da zaga para segurar os atacantes brasileiros e falta de criatividade ofensiva

Personagem do jogo

Daniel Alves, que praticamente decidiu a partida com golaço de falta

Destaque negativo do jogo

Além de ter um adversário sem expressão pela frente, que pouco acrescenta em termos de dificuldade, a Seleção Brasileira não conseguiu levar um bom público ao Zayed Sport City. Dos 49.500 lugares disponíveis, os torcedores ocuparam apenas cerca de 15% do total, mesmo com ingressos de R$ 30 a 160. Os principais motivos do baixo público são a ausência de estrelas do quilate de Kaká, Ronaldinho e Ronaldo, além da divulgação modesta da partida pela mídia local e o fraco apelo do futebol no país, muito mais preocupado com a última etapa de Fórmula 1, que passará por Abu Dhabi em novembro

Esquema Tático do Brasil

4-4-2

Victor; Daniel Alves, Thiago Silva (Réver), David Luiz e André Santos; Lucas (Wesley), Ramires (Sandro), Carlos Eduardo (Giuliano) e Philippe Coutinho (Elias); Robinho (Nilmar) e Alexandre Pato; técnico: Mano Menezes

Esquema Tático do Irã

4-4-2

Mehdi Rahmati; Ehsan Haj Safi, Jalal Hosseini, Khosro Heydari e Mohammad Nosrati; Andranik Teymourian, Pejman Nouri (Milad Meydavoudi), Javad Nekounam e Masoud Shojaei (Karim Bagheri); Mohammad Gholami (Karim Ansarifard) e Milad Zanidpour (Iman Mobali); técnico: Afshin Ghotbi

Cartões Amarelos

Brasil: Robinho

Árbitro

Farid Ali

Local

Estádio Zayed Sport City, em Abu Dhabi (EAU)

Fonte: Terra, www.terra.com.br