Sem grandes pilotos, ibope da Fórmula 1 despenca 55% na Globo

No entanto, o público que acompanhava a F1 não trocou as corridas por outras TVs

Sem vitórias, sem estrelas nacionais e com carência até mesmo de pilotos que possam ser chamados de "promessas", a Fórmula 1 afunda no ibope na TV aberta. Dados apontam que nos últimos dez anos a Globo perdeu mais da metade da audiência nesses esporte: 55%, para ser mais exato.


Sem grandes pilotos, ibope da Fórmula 1 despenca 55% na Globo

Em 2002, a média de ibope das transmissões da F1 foi de 19,4 pontos na Grande São Paulo. Este ano, até o GP disputado no último domingo, em Cingapura, caiu para 8,6 pontos.

O curioso é que durante essa longa queda de ibope da F1, o share (participação de cada emissora no conjunto de aparelhos ligados) continuou o mesmo nas outras TVs. Isso significa, ou indica, que o público que acompanhava a F1 não trocou as corridas por outras TVs ou programas. Não. Ele simplesmente deixou de ligar a TV. Uma mensagem mais ou menos do tipo: "Vou assistir a isso pra quê?"

Notem na tabela acima que 2008, quando o ibope ainda chegou à razoável média de 17,1 pontos, foi o último ano em que Felipe Massa, de fato, teve chances de chegar ao título. Desde então a torcida convive apenas com desapontamentos, a cada ano e a cada nova corrida.

Vale acrescentar que os números da queda da F1 na Grande São Paulo são muito parecidos com os registrados no restante do país, no chamado Painel Nacional de Televisão. Em 2012, a média da F1 no PNT está em 8,5 pontos.

Fonte: Folha