Sinalizador mata jovem na Bolívia e polícia detém corintianos

Sinalizador mata jovem na Bolívia e polícia detém corintianos

Corintianos envolvidos no caso são detidos pela polícia boliviana

Um torcedor do San José, de apenas 14 anos, morreu após ser atingido por um sinalizador que teria partido da torcida do Corinthians, no estádio Jesús Bermúdez, na noite desta quarta-feira, em jogo válido pela Taça Libertadores da América. As informações são do tenente Cáceres, da polícia local. A diretoria do clube boliviano também confirmou o fato e lamentou o ocorrido logo após a partida. O clima foi de total comoção e revolta.

Natural de Cochabamba, cidade onde o Timão se concentrou para sua estreia na competição continental, o garoto viajou para assistir à partida, foi atingido no olho pelo artefato, liberado nos estádios bolivianos, e chegou a ser levado para o Hospital Obrero, em Oruro, mas não resistiu. Segundo o médico que atendeu o garoto, a morte foi instantânea.

- Houve perda de massa encefálica devido ao projétil, um tubo de plástico, que penetrou no crânio. Por conta disso, a morte foi imediata - explicou José María Vargas à imprensa local.

De acordo com um assessor da presidência do San José, será aberta uma investigação criminal.

? Alguns torcedores do Corinthians atiraram um objeto cilíndrico que acertou o torcedor. Depois os torcedores foram identificados pelo pessoal da inteligência, que encontrou com eles o mesmo objeto que causou a morte ? afirmou o coronel Hector Rios, à Fox Sports.

A polícia boliviana deteve 12 corintianos acusados de envolvimento na confusão. Um produtor que filmava os torcedores na arquibancada teve a sua câmera apreendida.

Segundo a delegada Abigail Saba, responsável pela investigação do caso, seis dos 12 já passaram por testes para detecção de resíduos de pólvora em suas mãos. Ela disse que só vai revelar os nomes dos detidos depois de ouvir seus depoimentos, nesta quinta-feira pela manhã.

Revoltados com o acontecimento, torcedores bolivianos chamaram os corintianos de "assassinos" e os juraram de morte. A polícia não permitiu a saída imediata dos alvinegros, que ficaram presos no local do confronto após o apito final. Ao longo do jogo, sinalizadores e outros tipos de fogos de artifício foram notados tanto na torcida local quanto entre os visitantes.

No intervalo da partida, oficiais bolivianos se dirigiram à arquibancada onde a torcida do Corinthians estava posicionada, em busca dos responsáveis pelo acidente. Temendo represália, membros de organizadas rapidamente retiraram faixas e bandeiras, causando tumulto e confusão.

Até mesmo os jornalistas brasileiros que acompanham o Corinthians na Bolívia foram orientados pelos policiais a permanecer no estádio, devido à situação crítica do lado de fora. Pouco mais de uma hora depois do fim do jogo é que a delegação do Timão, torcedores brasileiros e jornalistas puderam deixar o local.

Fonte: GloboEsporte.com