Técnico vascaíno é sincero e diz: "Fomos abaixo do esperado"

Técnico vascaíno é sincero e diz: "Fomos abaixo do esperado"

A derrota por 2 a 0 para o Universitario no primeiro jogo das quartas de final da Copa Sul-Americana foi um balde de água fria para o Vasco

A derrota por 2 a 0 para o Universitario no primeiro jogo das quartas de final da Copa Sul-Americana foi um balde de água fria para o Vasco. No entanto, em análise fria do que foi a partida da noite desta quarta-feira, o técnico Cristóvão Borges reconheceu que seu time foi muito abaixo do planejado. Segundo o treinador, dois fatores foram determinantes para que o Vasco não conseguisse impor seu ritmo de jogo costumeiro: a marcação ofensiva dos peruanos e os próprios erros individuais do Vasco.

Segundo Cristóvão, a postura tática dos atacantes e meias do Universitario acabou anulando completamente a dupla de laterais Fagner e Julinho. Com isso, a saída de bola do time carioca ficou extremamente prejudicada. Em certos momentos a equipe chegou a conseguir impor um certo ritmo. Mas aí um erro de passe ou uma jogada individual que não dava certo acabava travando a evolução.

- Tivemos muitas dificuldades. O Universitario prendeu nossos laterais e a saída ficou prejudicada demais. Tanto o Fagner, como o Julinho eram armas que gostaríamos de ter explorado mais. Mas o nosso maior problema foram os muitos erros de passe na saída. Isso acabou trazendo o Universitario para cima da gente. Cada erro nosso fez com que eles aumentassem ainda mais o ímpeto e empolgassem os seus torcedores. Fomos abaixo do nosso normal - lamentou o treinador.

Ele admitiu que um gol fora de casa facilitaria e muito a missão do Vasco:

- O gol ajudaria e muito. A vantagem do Universitario é de respeito, mas temos São Januário para nos ajudar. Vamos armar um time competitivo como fizemos nas outras fases da Sul-Americana e lutar muito para alcançar esta classificação.

Passada a derrota, Cristóvão Borges já pensa no jogo contra o Santos, no próximo domingo, às 17h (de Brasília), na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro. Ele acredita que a derrota não irá refletir no ânimo e no desempenho dos jogadores.

- Desde o início estamos sabendo distinguir as duas competições de maneira tranquila. Não nos desesperamos em outras oportunidades e não vamos fazer isso agora. Tenho certeza de que isso não irá atrapalhar em nada - finalizou.

Para se classificar, o Vasco precisa de uma vitória por três ou mais gols no jogo de volta, que será realizado na próxima quarta, em São Januário. O time peruano pode perder por um gol de diferença ou dois, desde que faça ao menos um, para avançar à semifinal da competição. Caso o Vasco vença por 2 a 0 na próxima semana, a decisão da vaga irá para os pênaltis. No Brasileiro, o Vasco é o segundo colocado com 58 pontos, mesmo número do líder Corinthians, que tem uma vitória a mais.

Fonte: Globo Esporte