St. Pierre domina desafeto e mantém cinturão pela 8ª vez

St. Pierre domina desafeto e mantém cinturão pela 8ª vez

Canadense aplica muitas quedas, anula jogo do adversário e vence por decisão unânime dos jurados.

Nick Diaz passou os últimos dias literalmente causando. Faltou ao treino aberto do UFC 158, tumultuou a coletiva e, por várias vezes, atacou Georges St. Pierre. O canadense, porém, guardou parte da resposta para dentro do octógono.

Nesta madrugada, GSP atropelou seu desafeto, dominou completamente o americano ao longo do combate inteiro, ignorou as provocações e venceu por pontos, em decisão unânime dos árbitros, na luta principal do evento realizado em Montreal, no Canadá. Ao seu estilo, o canadense segue invicto desde 2007 - tornou-se campeão interino em dezembro daquele ano e unificou o título em abril de 2008.


St. Pierre domina desafeto e mantém cinturão pela 8ª vez

Logo na apresentação dos lutadores, Diaz, claro, foi muito vaiado, e o ?dono da casa? ovacionado pelos torcedores presentes. Nos olhos de ambos, porém, era possível ver bastante confiança na vitória. De cara, GSP aplicou um chute rasteiro e levou o duelo para o chão. Ali, o canadense começou seu show.

Travou o rival de todas as maneiras, golpeou bastante e dominou a luta no solo. Diaz só se levantou para se dirigir ao córner quando o gongo soou. No retorno para o segundo round, GSP fez o que quis e, de novo, conseguiu a queda. Trabalhou a luta no chão pela maior parte do tempo e garantiu a vitória parcial.

No terceiro round, Nick Diaz voltou a fazer o que fez ao longo dos últimos dias: provocar. Falando bobagens e abrindo a guarda em direção ao canadense, ele foi atacado e tomou mais alguns golpes. Na reta final, porém, incomodou pela primeira vez com duas sequências de socos que fizeram o campeão sangrar. No soar do gongo, o americano "causou", ao tentar desferir um soco em GSP com o round já encerrado.

Diaz, com a mesma postura do round anterior, ensaiou uma graça e teve como resposta um "superman punch", que por pouco não o derrubou. O desafiante então esboçou alguma reação, mas o campeão, com uma estratégia bem definida de levar o combate para o solo quando estivesse "apertado", a executou com perfeição.

No último e derradeiro round, GSP apenas administrou sua vantagem, evitando quedas e entradas mais incisivas do rival. No fim, ainda conseguiu alguns bons golpes no rosto do americano. Restava apenas aguardar Dana White colocar o cinturão nele mais uma vez e confirmar a oitava defesa no UFC.

"Nunca levo para o lado pessoal (as provocações feitas pelo rival). Ele está no UFC há mais tempo do que eu, ele é um dos caras que mais gostos de assistir. Era um dos caras que eu precisava lutar, e nós fizemos uma grande luta", declarou o campeão.

Fonte: UOL