Súmula do jogo entre Vasco x Flamengo gera polêmica; veja

Documento sofre alterações no site oficial da Ferj nesta terça-feira

A polêmica em torno da súmula da vitória do Flamengo sobre o Vasco, por 2 a 1, no último sábado, continua. Após ter sido publicado nesta segunda-feira, o documento teve uma alteração importante nesta terça. Na parte anexada com a lista dos atletas cruz-maltinos, havia a letra "V" (supostamente, de vermelho) ao lado dos nomes de Fagner, Rodolfo, Eduardo Costa, Fellipe Bastos e Diego Souza, os cinco que foram citados pelo árbitro Wagner dos Santos Rosa na confusão após a partida. Contudo, elas foram apagadas, aparentemente, com tinta corretiva, nesta terça. Segundo a súmula, o quinteto teria sido expulso ainda no gramado, mas o árbitro relatou que não conseguiu mostrar os cartões na ocasião por conta do tumulto generalizado.

Entenda o caso

O presidente da Comissão de Arbitragem da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), Jorge Rabello, e o vice jurídico do Vasco, Aníbal Rouxinol, têm intepretações totalmente distintas acerca dos cinco jogadores do Vasco que foram citados.

Jorge Rabello garante que eles não terão que cumprir suspensão automática contra o Nova Iguaçu, domingo, em Moça Bonita, por não terem sido expulsos, de fato, ainda no campo de jogo. De acordo com Rabello, o juiz agiu corretamente ao relatar que "não foi possível a exibição de cartão vermelho na conduta disciplinar dos referidos atletas citados (...) tendo em vista a situação desfavorável dessa aplicação e expulsão de fato de todos, naquele momento, o que poderia gerar, na minha avaliação, um tumulto generalizado com consequências maiores".

Do lado do Vasco, entretanto, o vice jurídico Anibal Rouxinol tem uma interpretação completamente diferente e diz que os cinco jogadores citados cumprirão, sim, a suspensão automática. De qualquer maneira, Diego Souza e Fágner já não poderiam enfrentar o Nova Iguaçu porque levaram o terceiro cartão amarelo contra o Fla.

- O Jorge Rabello diz que o jogador cumpre a suspensão automática se o árbitro mostrar o cartão. Mas eu nunca vi caso idêntico. O cartão vermelho serve apenas para dar publicidade ao fato, para que todos saibam. Nada além disso. Mesmo se o cartão não for dado mas constar na súmula, é preciso cumprir a suspensão automática. O departamento jurídico do Vasco é contra a escalação desses jogadores, essa foi a minha posição passada ao departamento de futebol do clube. Para que não haja qualquer dúvida, eles vão cumprir a suspensão no domingo. Isso somente não vai acontecer se a Federação de Futebol do Rio de Janeiro me disser que é permitido e o faça de maneira oficial - disse Rouxinol, que prometeu ir à Ferj nesta terça-feira para tentar solucionar pessoalmente a questão.

Manual da CBF pede que se evite o uso de corretor de texto

Publicado em 2009, o Manual de Súmulas e Relatórios para Árbitros, da CBF, tem um artigo que fala exatamente sobre o preenchimento da súmula em casos de erro ou esquecimento. No documento, há a indicação da prevenção do uso do corretor de texto.

"Quando houver a necessidade de alterar aquilo que já foi relatado por erro ou esquecimento, apesar de todas as orientações contidas acima, evite usar corretor de texto (liquid paper) ou rasurar a súmula. Nos casos de erro, utilize o termo "digo" ou "(sem efeito)" e prossiga com seu relato normalmente. Para os casos de esquecimento, se a súmula permitir, utilize o termo "em tempo" e relate aquilo que foi esquecido. Caso não seja possível fazer essas correções por faltar espaço, prejudicar a clareza da redação ou já ter sido "fechada" a súmula, o árbitro deve utilizar o "Relatório Anexo", informando tal fato no campo correspondente da súmula."





Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com