Ricardo Teixeira passa mal em reunião em que discutia seu futuro na CBF

Com diverticulite e dores na perna, o dirigente interrompeu o encontro com os presidentes das federações estaduais.

Um dia antes da assembleia geral da CBF, o presidente da entidade, Ricardo Teixeira, passou mal e foi obrigado a deixar às pressas uma da série de reuniões em que discutia o seu futuro no comando da confederação.


Teixeira passa mal em reunião em que discutia seu futuro na CBF

Com diverticulite e dores na perna, o dirigente interrompeu o encontro com os presidentes das federações estaduais e foi se consultar com o seu médico.

Sem conseguir se locomover direito, Teixeira deixou a sede da CBF, no Rio, sem se encontrar com sete presidentes de federações.

Por causa das fortes dores, o dirigente não conseguiu fechar as articulações para a assembleia geral de hoje, em que o cartola pretende deixar claro o seu substituto em caso de uma eventual licença.

Teixeira está acuado diante da Fifa e do governo federal. Sua situação ficou ainda pior depois de o jornal Folha de S. Paulo mostrar que o dirigente é ligado à Ailanto, acusada pelo Ministério Público de desviar dinheiro da organização de um amistoso entre Brasil e Portugal em 2008. A empresa recebeu R$ 9 milhões.

O paulista José Maria Marin, ex-governador de SP e vice da CBF para a região Sudeste, é o preferido para ocupar o cargo de presidente.

Marin entrou na CBF por indicação de Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol.

Enquanto ocorre a movimentação em favor do cartola paulista, federações de outros Estados se articulam para tentar promover uma nova eleição na CBF. Porém, na convocação para a assembleia de hoje, a eventual mudança na direção da CBF não era um dos temas previstos.

"Eu acho que o presidente pode ficar [no cargo], mas vai ter que tirar uma licença logo. Está muito difícil fisicamente para ele", disse David Sabino, diretor institucional da federação pernambucana.

Antes mesmo de Teixeira passar mal, a maioria dos presidentes de federações já falava que o cartola, que comanda a CBF desde 1989, deverá se licenciar já em março. "Estou aqui para apoiá-lo. Não dá para dizer muita coisa, mas, pelo que estou sentindo, tudo pode acontecer", disse Mauro Carmélio Santos, da federação do Ceará.

Teixeira está com muita dificuldade de se locomover por causa de um acidente sofrido há 14 anos na sua fazenda, em Piraí (RJ). Em 1998, ele caiu de um cavalo, foi operado e teve implantada uma placa de ferro na coxa, o que encurtou em 2 centímetros a perna direita dele.

A intenção do dirigente ontem era se antecipar à assembleia geral da CBF e discutir com aliados o seu futuro no comando da confederação.

Ele passaria a tarde articulando com as federações menores. Pelo menos 11 dos 27 presidentes que vão participar hoje da assembleia foram encontrá-lo. A maioria das entidades presentes na reunião era das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Fonte: Folha.com