Testemunha foi decisiva para julgamento do escândalo na Renault

Um denunciante misterioso da equipe, com o codinome "Testemunha X", foi quem deuTestemunha anônimas contra o ex-chefe da Renault, Flavio Briatore

Um denunciante misterioso da equipe, com o codinome "Testemunha X", foi quem deu provas anônimas contra o ex-chefe da Renault, Flavio Briatore, no escândalo de manipulação do acidente do piloto brasileiro Nelsinho Piquet durante o GP de Cingapura de 2008.

O anúncio foi feito pela própria equipe Renault à FIA, segundo divulgado nesta terça-feira. Este misterioso funcionário estava a par da reunião entre Piquet, Briatore e Pat Symonds, que definiu que o brasileiro deveria se acidentar propositalmente.

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) informou que um quarto membro dentro da Renault sabia da armação entre equipe e o piloto brasileiro na véspera da corrida em Cingapura.

"Nestas observações adicionais, a Renault se refere à existência de um outro membro de sua equipe, a "Testemunha X" que, embora não seja um conspirador, sabia da conspiração a respeito do GP de Cingapura de 2008", comunicou a FIA.

Na segunda-feira, o italiano Briatore foi banido definitivamente do automobilismo, por ordenar a batida proposital de Nelsinho Piquet, favorecendo assim o espanhol Fernando Alonso. A equipe foi advertida e pode ser banida caso cometa mais algum ato ilegal novamente nos próximos dois anos.

Fernando Alonso e Nelsinho foram inocentados após o julgamento da FIA, enquanto Pat Symonds recebeu uma suspensão de cinco anos. Após as evidencias do caso, a Renault optou por demitir tanto o ex-dirigente italiano quanto o ex-chefe de engenharia do time, os principais culpados no escândalo.

Fonte: aaaaaaaaaaaaa