Timão empata com Bota e perde vantagem sobre Flu

Timão empata com Bota e perde vantagem sobre Flu

Mesmo se vencer o Vasco no jogo que tem atrasado, o time do Parque São Jorge dificilmente ultrapassa o Fluminense

A quarta-feira recolocou de uma vez a liderança do Campeonato Brasileiro nas mãos do Fluminense. Isto porque o Corinthians, jogando no Pacaembu, teve problemas, foi ameaçado e até pressionou, mas saiu só com um empate por 1 a 1 diante de um perigoso Botafogo. Bruno César fez, no início, para o time da casa, mas Loco Abreu deixou tudo igual também no primeiro tempo. Ainda houve tempo para um gol mal anulado de Herrera, o que prejudicou a equipe de Joel Santana.

Mesmo se vencer o Vasco no jogo que tem atrasado, o time do Parque São Jorge dificilmente ultrapassa o Fluminense, que lidera absoluto com 51 pontos (três a mais que os corintianos), 15 vitórias (uma a mais) e ainda leva vantagem de quatro gols no saldo, terceiro critério de desempate.

A partida do Pacaembu teve um equilíbrio impressionante e oportunidades de gols do primeiro ao último minuto, deixando sempre a sensação de que o placar poderia ser alterado por qualquer uma das duas equipes. Se o Corinthians pressionou por toda a etapa final, foi o Botafogo, em dois contragolpes nos acréscimos, que quase fez com Somália e Caio.

O Corinthians retorna ao Pacaembu, sábado, diante do Ceará às 16h (de Brasília). Poderá ter as voltas de Ronaldo e Dentinho. Já o Botafogo tem clássico pela frente: será contra o Flamengo, no Engenhão, às 18h30.

Equilíbrio no Pacaembu na etapa inicial

Na formação inicial das equipes, o Corinthians teve o retorno de Ralf, um dos quatro contundidos de Adilson Batista, que segue sem Ronaldo, Dentinho e Chicão. Paulo André, suspenso, foi outro desfalque e acabou sendo substituído por Thiago Heleno, que iniciou como titular pela primeira vez no Parque São Jorge e teve atuação ruim.

Joel Santana, que já não tem Maicosuel e Marcelo Mattos, ficou sem Jobson e Edno, também suspensos, e optou por Lúcio Flávio na meia em detrimento de Renato Cajá. Fahel como titular atuou no lugar que, se imaginou, seria de Danny Moraes, e jogou sempre na marcação pessoal a Jorge Henrique.

Como tem sido frequente nos jogos disputados em casa, o Corinthians começou em cima do Botafogo, apoiado por uma torcida que ignorou o horário ruim das 22h (de Brasília) e preencheu boa parte do estádio. Trocando passes rápidos e pressionando a marcação botafoguense, o gol corintiano não demorou a sair.

Com 1min, Roberto Carlos cobrou falta próxima da entrada da área, mas acertou a barreira. Logo em seguida, o lateral inverteu bola do lado esquerdo e achou Bruno César. No canto direito da grande área, o meia colocou com rara felicidade no ângulo de Jefferson e correu para o abraço.

O Corinthians continuava em cima, principalmente graças às subidas de Ralf, que devia ter a marcação de Herrera mas avançava livre. Em uma dessas jogadas, o volante ameaçou Jefferson. Aos poucos, porém, o Botafogo se organizou em campo e começou a equilibrar a partida, que quase foi empatada aos 12min.

Após escanteio da esquerda, Loco Abreu escapou da frouxa marcação de William, dominou com estilo e chutou no travessão de Julio Cesar. Era o prenúncio de que o Botafogo partia ao ataque atrás do empate, o que não demorou tanto a acontecer.

Com a colaboração de uma defesa corintiana lenta, especialmente Thiago Heleno e William, o Botafogo se achou e achou a igualdade. Aos 26min, Herrera avançou pela direita e cruzou com inteligência para Abreu, que estava só com o baixo Alessandro em sua marcação. Livre, o uruguaio usou a cabeça e empatou. Foi o sexto gol do centroavante botafoguense em seis jogos.

O Corinthians, que no início jogava especialmente no ritmo de Bruno César, começou a levar perigo com Elias, pouco vigiado por Somália, seu marcador definido na estratégia de Joel Santana. O volante/meia corintiano apareceu bem na grande área e escorou cruzamento de Jorge Henrique para Iarley, que se esticou todo e colocou na trave.

O Botafogo teve a chance de ameaçar em jogada inteligente de Loco Abreu, que deixou Marcelo Cordeiro livre diante do gol - de forma equivocada, a arbitragem assinalou impedimento. Elias ainda reapareceu bem já perto do fim do primeiro tempo, de novo com a cabeça após ótima bola alçada por Jorge Henrique. Desta vez, porém, a finalização foi para fora.

O segundo tempo

A etapa complementar começou de forma curiosa: a torcida corintiana incentivava a plenos pulmões, mas quem se sentia à vontade era o Botafogo, que chegou a marcar um gol legal, aos 3min, muito mal anulado pelo auxiliar Erich Bandeira. Herrera fez e estava em posição legal, para o desespero de Joel Santana.

Logo depois, novamente chegou o Botafogo com Herrera, que aproveitou ótimo cruzamento no segundo pau e usou a cabeça, exigindo grande defesa de Julio Cesar. O argentino reapareceu em seguida, de bicicleta, ameaçando a meta de seu ex-time.

O Corinthians só foi se acertar em campo quando o relógio ultrapassou os 10 minutos e o Botafogo diminuiu sua pressão. Paulinho havia entrado, no intervalo, no posto de Ralf. Defensivo, o volante pouco aproveitava o espaço que tinha para jogar, bem diferente de Paulinho.

Em linda tabela com Elias, ele invadiu a área e deu até tempo de todo o Pacaembu levantar para olhar a finalização, muito bem defendida por Jefferson. O mesmo Elias apareceu aos 29min e, após grande trama com Alessandro, bateu para fora, rente à trave do Botafogo. A partida seguiu aberta até o fim, com chances para os dois lados, mas nenhum time conseguiu mexer mais no placar.

FICHA TÉCNICA

Corinthians 1 x 1 Botafogo

Gols

Corinthians: Bruno César, aos 2min do primeiro tempo

Botafogo: Loco Abreu, aos 26min do primeiro tempo

Lance polêmico

Aos 3min do segundo tempo, Herrera fez gol legal, mal anulado por impedimento

Ponto Forte do Corinthians

Velocidade nos passes, deslocamento insinuante e avanços de Alessandro

Ponto Forte do Botafogo

Marcação bem encaixada, inteligência nas bolas aéreas e dedicação em campo

Ponto Fraco do Corinthians

Lentidão incrível da dupla de zaga William e Thiago Heleno, ainda muito exposta pelo posicionamento do time

Ponto Fraco do Botafogo

Falta de chegada dos volantes e dos alas à frente

Personagem do jogo

Loco Abreu, o mais perigoso do Botafogo

Esquema Tático do Corinthians

4-2-2-2

Julio Cesar; Alessandro, William, Thiago Heleno e Roberto Carlos (Danilo); Ralf (Paulinho) e Jucilei; Elias e Jorge Henrique; Bruno César e Iarley (Defederico)

Treinador: Adilson Batista

Esquema Tático do Botafogo

3-4-1-2

Jefferson; Fahel, Antônio Carlos (Danny Moraes) e Fábio Ferreira; Alessandro, Leandro Guerreiro, Somália e Marcelo Cordeiro; Lúcio Flávio (Caio); Herrera (Renato Cajá) e Loco Abreu

Treinador: Joel Santana

Cartões amarelos

Corinthians: Elias

Botafogo: Fahel, Herrera e Antônio Carlos

Árbitro

Leandro Vuaden (RS)

Local

Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)

Fonte: Terra, www.terra.com.br