Timão tera o maior patrocinio do Brasil

Sanchez promete patrocínio recorde até a próxima semana

12/3/2009 - 13h48

Sanchez promete patrocínio recorde até a próxima semana

A camisa limpa do Corinthians está com os dias contados, segundo Andrés Sanchez. O presidente do clube afirmou nesta quinta-feira, em entrevista ao programa "Jogo Aberto", da TV Bandeirantes, que na próxima semana serão anunciados os três patrocinadores definitivos para os dez meses restantes da temporada de 2009: do peito, das mangas e do calção.

"O patrocínio está próximo e espero que até semana que vem, no máximo, estejam os três fechados. Não é o que a gente queria, mas vai ser o maior do Brasil", disse o dirigente, garantindo que o valor do patrocínio master será maior que R$ 25 milhões. A rede de supermercados Carrefour seria a favorita para estampar sua marca na parte frontal do uniforme.

O Corinthians chegou a sonhar com R$ 30 milhões, embora tenha estabelecido no seu orçamento para 2009, votado pelo Conselho Deliberativo, um mínimo de R$ 20 milhões. O clube terá direito a 100% do valor do peito e 20% das mangas e do calção - o restante fará parte do pagamento a Ronaldo.

Sanchez admitiu que a demora para a definição dos novos parceiros foi além do imaginado. "Se eu quisesse, teria fechado por R$ 16 ou R$ 17 milhões. Não fechamos antes porque acreditamos que os patamares em que os outros clubes fecharam estão aquém do Corinthians", afirmou, referindo-se indiretamente à renovação do contrato do São Paulo com a LG por R$ 15 milhões - fora bonificações.

"Talvez essa demora tenha sido muito prolongada, mas quem sofre mais sou eu, que tenho que pagar as contas", finalizou o dirigente. Por causa da falta de verbas, o Corinthians admitiu ter atrasado o pagamento de direito de imagens de alguns atletas em janeiro e fevereiro, mas diz ter quitado as dívidas.

Delegacia e aeroporto

Sanchez compareceu nesta manhã ao 34º DP para depor sobre os incidentes causados ao final do clássico contra o São Paulo, no dia 15 de fevereiro, em que cerca de 50 torcedores ficaram feridos após confronto com a Polícia Militar.

À tarde, o presidente corintiano tem compromisso às 15h no Ministério do Esporte, em Brasília, em encontro que discutirá alterações no Estatuto do Torcedor.

Fonte: AE/G1