Timão empata com Vasco e vai à final

Agora, o time do Parque São Jorge luta pelo tricampeonato da competição contra o Internacional

Foi sofrido e sobrou emoção no Pacaembu, mas a Fiel pode dormir tranquila. Após o empate em 1 a 1 na partida de ida, no Maracanã, o Corinthians entrou em campo, na noite desta quarta-feira, com o regulamento embaixo do braço e não se fez de rogado ao usar de cautela contra o Vasco. Deu resultado. O Timão segurou a pressão da equipe cruzmaltina, que jogou de igual para igual durante os 90 minutos, não sofreu gol e chegou pela segunda vez consecutiva à final da Copa do Brasil.

Agora, o time do Parque São Jorge luta pelo tricampeonato da competição contra o Internacional, que perdeu por 1 a 0 para o Cortiba no Couto Pereira, mas ficou com a vaga por ter vencido a partida de ida por 3 a 1, no Beira-Rio - o Colorado tenta o segundo título do torneio. Os jogos finais estão marcados para 17 de junho e 1º de julho, e os mandos de campo ainda serão definidos, por sorteio, na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro.

Pelo Brasileirão, o Corinthians volta a campo no próximo sábado, às 21h, contra o Coritiba, no Pacaembu. No mesmo dia e horário, o Vasco tem novo desafio pela Série B. Desta vez diante do São Caetano, em São Januário ? as duas equipes decidiram o Nacional de 2000, e os cariocas levaram a melhor.

Estrelas não brilham, mas equipes fazem belo jogo

A expectativa dos torcedores era de grandes apresentações das estrelas Ronaldo e Carlos Alberto, desfalques na primeira semifinal. Ambos, porém, tiveram atuação apagada. E como nenhum outro jogador conseguiu fazer a diferença para um dos lados, graças ao gol de Dentinho no Maracanã o Timão assegurou vaga na final.

Já tem virado praxe. Começa a partida, o volante Cristian corre atrás do jogador que tem de marcar e deixa o seu recado com uma chegada mais dura. No caso do duelo desta noite, o alvo foi Carlos Alberto, que não gostou e revidou com empurrão logo aos dois minutos. Após confusão, o árbitro Leonardo Gaciba chamou os dois para conversar e pediu calma. Optou por não mostrar cartão amarelo para nenhum deles.

Infelizmente, na noite fria de São Paulo, este foi o lance mais quente de um primeiro tempo fraco tecnicamente e de poucas chances de gol para os dois lados. De cara, até parecia que o Corinthians faria uma pressão maior, mas ficou só na ameaça. Aos cinco minutos, Elias fez boa jogada pela direita e cruzou para Ronaldo, que tentou de calcanhar e mandou para fora, sem assustar o goleiro Fernando Prass.

Três minutos depois, o Fenômeno recebeu a bola na esquerda da grande área, parou e gingou em frente a Amaral. A Fiel foi à loucura. O lance, porém, não resultou em nenhuma jogada de perigo. Aos 12, Ronaldo conseguiu finalizar após receber passe de Chicão, mas a conclusão foi fraca demais. Enquanto o elenco do Timão procurava por sua estrela, o do Vasco queria achar Carlos Alberto. Também não teve sucesso.

Com o meia bem marcado e sem espaço para criar, a equipe carioca ficou carente de armação. Tanto que a primeira finalização cruzmaltina saiu dos pés do volante Nilton, apenas aos 17 minutos, de fora da área ? a bola passou longe do gol. Aos 23, no entanto, Elton obrigou Felipe a fazer grande defesa. Após cobrança de escanteio de Paulo Sérgio da direita, o atacante cabeceou e o corintiano saltou para espalmar (veja no vídeo acima).

Sem nenhuma equipe apresentar qualquer tipo de domínio, a partida ficou concentrada nos contra-ataques. Aos 31 minutos, por exemplo, Douglas e Cristian saíram tabelando do campo de defesa e o volante mandou para Ronaldo, que, impedido, finalizou novamente sem força. Aos 35, foi a vez de Dentinho trocar passes com Alessandro e chutar da entrada da área. Fernando Prass defendeu.

Também em lance rápido, o Vasco assustou o Timão aos 42, mas o árbitro marcou impedimento. O ataque paulista foi interceptado e imediatamente a bola foi em direção de Elton. O atacante aproveitou vacilo de William e apareceu na grande área. Mas antes que finalizasse o jogo já estava parado. Chicão ainda chegou para cortar.

Pressão dos dois lados

Com a necessidade de fazer gols para ter a chance de classificação à final, o Vasco iniciou o segundo tempo em ritmo mais acelerado. A tática usada foi bola alçada na área, mas a zaga do Corinthians conseguiu afastar. A equipe da casa só conseguiu sair dessa pressão aos cinco minutos, quando Dentinho chutou cruzado para fora.

No minuto seguinte, porém, a equipe de São Januário voltou a assustar. Após cruzamento da direita, Carlos Alberto apareceu para cabecear prensado com a zaga do Corinthians e ver Felipe ficar com a bola. Só que antes mesmo da conclusão, o auxiliar de arbitragem já marcava impedimento do meia vascaíno.

Aos poucos, a impaciência tomou conta dos dois times. O Corinthians por considerar o placar de 0 a 0, que lhe dava um lugar na decisão, perigoso, e o Vasco por necessitar balançar a rede do rival para manter viva as esperanças. O nervosismo, no entanto, provocou muitos erros de ambos os lados.

Ronaldo e Carlos Alberto, as principais esperanças de Timão e Vasco, respectivamente, na partida, estavam apagados. Até um pouco irreconhecíveis. Mas a maior persistência do clube carioca quase foi premiada aos 19 minutos. Depois de cruzamento da esquerda, Nilton subiu e cabeceou. A bola passou bem perto do gol.

Pouco antes, aos 16, após cobrança de escanteio, o atacante Elton teve sua camisa puxada por Chicão. Pênalti claro não marcado pelo árbitro Leonardo Gaciba, encoberto por vários jogadores (assista ao lance no vídeo ao lado). O jogo ainda ficou parado por um tempo por conta de uma trombada de Dentinho com adversários.

Para tentar mudar um pouco o jogo e por conta do desgaste Jorge Henrique, Mano Menezes colocou Boquita no Corinthians. Do lado do Vasco, Dorival Júnior tirou Carlos Alberto - que sentiu câimbras e pedir para sair - e colocou Enrico. A substituição fez mais efeito no Timão, que quase abriu o placar em belos chutes de Dentinho, aos 24, e Boquita, aos 25 minutos..

O clube carioca não se intimidou e buscou espaço para revidar a pressão. Achou, é verdade, em lance atrapalhado, mas que obrigou Felipe a se mexer. Aos 30, Edgar desviou de cabeça e, sem querer, achou Elton na pequena área. O goleiro corintiano saltou na frente do atacante para evitar a conclusão.

Aos 37 minutos, foi a vez de Fernando Prass brilhar. Ronaldo recebeu ótimo passe, avançou para a grande área, mas ao tentar driblar o goleiro do Vasco, o Fenômeno foi interceptado para alívio da torcida cruzmaltina. A pressão corintiana ficou mais intensa no final, mas o gol não saiu. Como o 0 a 0 era do Corinthians, a Fiel pôde comemorar a vaga na decisão.

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com