Time toma atitude exemplar para repudiar homofobia da torcida

O clube não renegou esse espírito de igualdade e união

Desde que a capital alemã foi dividida ao meio pelo Muro de Berlim, em 1961, que a história do Hertha Berlim, time mais popular da cidade, tornou-se uma história de solidariedade, resistência, igualdade e união. O motivo desse tino libertário, porém, é quase insólito, ainda que evidente: junto com a divisão da cidade, dividiu-se também a própria torcida – e quem vivia do lado oriental deixou de poder torcer no estádio para seu time de coração.

Image title

Não era incomum, durante os 28 anos que durou a separação, que torcedores orientais do Hertha se aproximassem de um ponto específico do muro, para tentar, em dias de jogo, ouvir um pouco do que acontecia no antigo estádio do time, localizado próximo da divisão entre as duas metades da Berlim de então – até que, em 1989, com a queda do muro, a torcida pôde novamente se reunir em sua totalidade. E recentemente, em um caso de homofobia envolvendo justamente a torcida do Hertha, o clube não renegou esse espírito de igualdade e união que tornou peculiar sua história.

Tratou-se de uma troca de provocações entre a torcida do Hertha e o Colônia através de faixas, que traziam sugestões homofóbicas a respeito da torcida adversária. Em nota oficial, o clube deixou clara sua posição: “Abandonem essa estupidez! O Hertha Berlim sempre se distanciou de qualquer forma de discriminação. (…) O Hertha Berlim toma uma posição clara contra a homofobia, o racismo e a violência de qualquer forma. Para o Hertha, como um clube da capital – no ambiente multicultural de Berlim e com um time multinacional – é uma obrigação tomar uma posição clara contra o pensamento discriminatório em suas estruturas. Opor-se à homofobia, ao racismo e a qualquer forma de violência é, para todos os genuínos membros do Hertha, uma questão importante e, acima de tudo, parte do caráter”.

Essa não é a primeira vez que o Hertha encabeça movimentos contra a homofobia nos estádios e no esporte e, ao reiterar o compromisso contra o preconceito e a intolerância, o clube ilumina seu passado e, ao mesmo tempo, contrói melhor o futuro.

Fonte: Com informações do Hypeness