Tite vê fim do ciclo, mas ressalta que trabalho ainda não acabou

Tite vê fim do ciclo, mas ressalta que trabalho ainda não acabou

Sobre o sucessor, Tite afirmou que não vê problema em trocar ideias com o novo comandante do time para 2014.

O técnico Tite falou na manhã desta sexta-feira sobre a decisão de não continuar no comando do Corinthians para próxima temporada. Emocionado ao lado do presidente do time, Mario Gobbi, em coletiva de imprensa para anunciar que deixará o clube após três anos, o treinador admitiu o fim de um ciclo e abriu caminho para uma fase de transição até a chegada de um novo comandante, que ainda não está definido pela direção. Mano Menezes já tem acordo verbal.

"Existem etapas, momentos, é um ciclo. São três anos e pouco e isso é anormal, fora do padrão e foi de comum acordo a decisão. Mas ainda não terminou o trabalho", disse Tite, que pediu foco na partida de domingo contra o Vasco, no Pacaembu, e também para que qualquer homenagem só seja feita após a última rodada do Brasileirão.

"Eu quero trabalhar em busca da Libertadores. E não é porque sou bonzinho ou por marketing, mas porque é bom para o clube, para a torcida e para mim", analisou.

Sobre o sucessor, Tite afirmou que não vê problema em trocar ideias com o novo comandante do time para 2014.

"Assim como em qualquer atividade, existem afinidades. Estou aberto como profissional e pessoal, se ele (próximo treinador) à vontade e entender que é interessante"

O treinador ainda brincou sobre a chance, mesmo que remota, de conquistar uma vaga na Libertadores de 2014 através do Campeonato Brasileiro.

"Brinquei com o presidente e com os jogadores, vai que a gente classifique para a Libertadores e eu me agarro naquele mastro e não saio de jeito nenhum", afirmou.

O treinador evitou se emocionar durante toda a entrevista coletiva, mas não segurou as lágrimas ao elencar as passagens mais importantes no clube. Segundo ele, o momento de maior emoção foi após a eliminação para o Boca Juniors nas oitavas de final da Libertadores deste ano.

"A maior todas foi depois do jogo contra o Boca. Foi um reconhecimento sem título. A maior na dimensão moral foi aquele reconhecimento, que o vencer não era a qualquer custo e que perdemos por algo escuso, porco, sujo", disse Tite, que também lembrou das conquistas do Campeonato Brasileiro de 2011 e do Mundial de 2013.

Tite encerra sua segunda passagem pelo time alvinegro após mais de três anos e com os títulos do Brasileirão de 2011, da Libertadores e do Mundial, conquistados em 2012, e do Paulistão e da Recopa desta temporada. Somando as duas passagens ? a primeira entre 2004 e 2005 -, o treinador tem 268 jogos pelo clube, com 131 vitórias, 83 empates e 54 derrotas.

Fonte: UOL