Tóquio vai ser sede dos Jogos de 2020 mesmo com ameaça nuclear

Tóquio vai ser sede dos Jogos de 2020 mesmo com ameaça nuclear

Capital japonesa vence Istambul na rodada final de votação e vai receber as Olimpíadas e Paralimpíadas seguintes às do Rio de Janeiro, em 2016

A eufórica festa de quatro anos atrás, quando o Rio de Janeiro venceu a disputa para sediar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, deu lugar a uma versão mais contida, neste sábado, em Buenos Aires, na Argentina. Desta vez, os abraços não foram tão calorosos, não caíram tantas lágrimas e não teve um ídolo mundial como o Pelé em "campo". Mas, felizes, os japoneses deixaram por alguns instantes a tradicional formalidade oriental de lado para festejar, com direito a pulinhos e bandeirinhas balançando, a honra da capital Tóquio ser palco pela segunda vez do maior evento esportivo do mundo, daqui a sete anos, em 2020.

Respaldado pela sólida economia, infraestrutura de ponta e um projeto grandioso e moderno, a capital japonesa desbancou Istambul e Madri na final da disputa pelas Olimpíadas de 2020, neste sábado, durante a 125ª Assembleia do Comitê Olímpico Internacional. Nem a preocupação com a recente descoberta do vazamento de alta radioatividade na usina nuclear de Fukushima foi capaz de atrapalhar o sólida proposta japonesa.

- Estou tão feliz, estou extasiado. Vou compartilhar essa alegria com a população do meu país. Quero que façamos tudo o possível para atender às expectativas - disse Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão.

Na primeira rodada de votação, Tóquio alcançou o maior número de votos (42), enquanto Istambul e Madri ficaram empatadas com 26. Uma nova rodada foi feita para desempatar, e a cidade turca levou a melhor por 49 a 45. Na última e decisiva votação, a capital japonesa foi superior, somando 60 votos contra 36 da rival. O resultado confirmou o favoritismo já apontado nas principais bolsas de apostas. Depois de 1964, a bandeira olímpica voltará a tremular na terra do sol nascente.

Na apresentação vencedora para os membros do COI, Tóquio apostou nas instalações futuristas, na infraestrutura de qualidade e no sistema de transporte público completo. Votos também foram conquistados com a invejável situação financeira do pais e as garantias de entrrega de tudo o que foi prometido para os Jogos. Um fundo de 4,5 bilhões de dólares (mais de R$ 10 bilhões) já foi separado para o desafio.

- Creio que Tóquio prevaleceu pela excelente qualidade de sua proposta e também pela experiência das candidaturas anteriores. Eles vieram com bases sólidos - ressaltou Jacques Rogge, presidente do Comitê Olímpico Internacional.

A realização das Olimpíadas com total segurança foi outro ponto que ganhou destaque. "Tóquio é um dos lugares mais seguros do mundo", garantiu o primeiro ministro do Japão, Shinzo Abe. Em seguida, o líder político fez um discurso sobre o comprometimento com os valores olímpicos.

Já o polêmico assunto sobre o vazamento da usina nuclear de Fukushima ganhou apenas uma menção rápida durante a apresentação. Shinzo Abe garantiu que não há riscos para Tóquio. Os membros do COI, porém, não ficaram satisfeitos e pediram mais explicações sobre o problema.

- Agora podem existir preocupações com 2020, mas posso assegurar que a situação está controlada. Não teve e não terá nunca um impacto em Tóquio - disse o primeiro-ministro do Japão.

Istambul chegou ao duelo final com proposta de "sede dupla"

"Esta é uma nova candidatura, para uma nova Turquia", disse o presidente do Comitê de Candidatura de Istambul, Hasan Arat, na abertura da apresentação de Istambul. Uma cidade aberta aos povos de todas as culturas, religiões e raças. Um ponto de encontro entre o mundo ocidental e o oriental. Baseados nesses conceitos, representantes da cidade turca tentaram convencer os membros do Comitê Olímpico Internacional de que a quinta maior cidade do mundo seria o lugar ideal para realizar os Jogos de 2020.

Com discurso realista, Madri deixa disputa na primeira rodada de votação

Em sua apresentação, Madri tentou deixar claro que levava vantagem em relação às suas rivais na preparação para os Jogos Olímpicos de 2020, com cerca de 80% das instalações já construídas. Com um elenco de peso, desde o príncipe das Astúrias, Royal Highness, e o jogador da NBA Pau Gasol, a cidade espanhola explorou a emoção em seus discursos e ressaltou a proposta realista. Apesar da crise econômica que atinge o país, a candidata tentou provar aos membros do COI que é possível fazer as Olimpíadas com um orçamento coerente, sem elefantes brancos.

Fonte: Globo Esporte