Torcedor que deu R$ 500 após gol do Treze relembra emoção: "Impagável"

Fanático pelo Alvinegro de Campina Grande, ele, no auge da empolgação, presenteou o atacante Giancarlo pelo lance que deu a vaga nas quartas de final

Tem preço um gol que, no apagar das luzes, classifica o seu time para a fase final de uma competição nacional? Para o torcedor do Treze José Melo, de 58 anos, tem: R$ 500. Na prática, porque na teoria o engenheiro eletricista e comerciante acha até pouco. Fanático pelo Alvinegro de Campina Grande, ele, no auge da empolgação, presenteou o atacante Giancarlo pelo lance que deu a vaga nas quartas de final da Série C do Campeonato Brasileiro, no último domingo.

O Galo precisava vencer o Santa Cruz, mas o 0 a 0 teimava em não sair do placar. A esperança da torcida virou realidade no estádio Presidente Vargas quando Giancarlo, que havia entrado no segundo termpo, fez 1 a 0 aos 44 minutos. Na emoção de ver a sua equipe de coração garantida no mata-mata decisivo, Melo não teve dúvidas: puxou o que tinha de dinheiro no bolso e deu a um relutante e surpreso atacante. E não foram R$ 100, como a princípio se supôs devido ao que transparecia na foto que flagrou o momento, mas sim R$ 500 ? havia cinco notas dobradas uma na outra. Para o torcedor, no entanto, o valor é pouco perto do que sentiu naquele instante.

? Um gol daqueles é impagável. Quando vi que tínhamos conseguido a classificação, senti toda aquela emoção do estádio comemorando. Foi uma festa, e tinha que compensá-lo de alguma forma. Queria dizer a Giancarlo que ele merece muito mais. O que ele fez pelo Treze simplesmente não tem preço ? relembrou, sem conseguir segurar o choro.

O gesto transformou José Melo numa celebridade instantânea em Campina Grande. Ele virou tema de debates nas redes sociais, e nos principais pontos de encontro da cidade o assunto era o mesmo: quem era o "torcedor do dinheiro"? A reportagem, por sinal, demorou três dias inteiros até conseguir identificá-lo e localizá-lo em sua residência em Matinhas, município de pouco mais de quatro mil habitantes e que faz parte da Região Metropolitana de Campina Grande.

Paixão antiga pelo Treze

José Melo é daqueles torcedores fanáticos, realmente fanáticos pelo clube do coração. Gosta do Treze desde criança e sempre que tem oportunidade acompanha os jogos do time no Presidente Vargas. A paixão pelo Galo da Borborema é tão intensa que ele garante que torceria sem pestanejar pelo Alvinegro mesmo que fosse contra a seleção brasileira.

? Faço tudo pelo meu Galo. Torcer é algo que não consigo explicar. Nós, torcedores, vamos a campo, nos comovemos com o que acontece e deixamos a emoção falar mais forte. É assim que eu me sinto. Acho que é desse jeito que vou ser para sempre ? falou José Melo, mais uma vez se emocionando.

Ele, inclusive, explicou que ficou muito surpreso com a repercussão que o fato ganhou, pois não foi nada premeditado.

? Fiz aquilo de maneira espontânea, de coração, porque naquele momento eu achava que era o certo a fazer.

E se depender da boa vontade do trezeano, os jogadores vão ter um motivo a mais para entrar com a determinação redobrada nos jogos contra o Vila Nova, pelas quartas de final da competição nacional. Na luta pelo acesso à Série B em 2014, Melo promete dar um novo presente para os jogadores em caso de vitória.

? Já tem mais um presente garantido para o jogo de domingo. Não vou dizer o valor, mas já separei uma quantia. Se der tudo certo, dependendo do resultado desse primeiro jogo, vou com meu filho para Goiás assistir de perto à classificação do Treze para a Série B ? finalizou.

Presente que virou presente

Contemplado com os R$ 500, Giancarlo se mostrou bastante agradecido com o gesto. Depois de evitar falar sobre o assunto, temendo alguma repercussão negativa, ele resolveu revelar o destino do dinheiro. O atacante diz que usou parte do valor que ganhou para ajudar uma instituição de caridade em Iguatemi, no Mato Grosso do Sul, sua cidade natal.

? Fiquei surpreso na hora, mas depois muito feliz pelo gesto. Além de me ajudar, ele ajudou outras pessoas também. Doei parte do dinheiro para uma instituição que sempre tento ajudar. E agradeço a ele não só pelo presente, mas também por ajudar o Treze nas arquibancadas o tempo todo.





Fonte: GloboEsporte