Toyota confirma sua saída da Fórmula 1 para reduzir gastos

A partir da próxima temporada não terá escuderias japonesas.

Toyota, maior fabricante mundial de veículos, anunciou oficialmente nesta quarta-feira que, por razões econômicas, está se retirando da Fórmula 1, que a partir da próxima temporada não terá escuderias japonesas. Em comunicado, a empresa confirmou as informações publicadas anteriormente pelo jornal japonês "Mainichi".

A Toyota se une a outras marcas japonesas que decidiram abandonar o automobilismo, como Honda na Fórmula 1, ou Suzuki e Subaru no Mundial de Rally. A maior montadora mundial de automóveis dá prosseguimento assim à redução de gastos, após a expressiva queda nas vendas. A empresa já limitou o número de funcionários com contrato temporário, assim como a capacidade das fábricas.

A Toyota já anunciara em julho que abria mão de organizar o Grande Prêmio de F-1 do Japão a partir de 2010 no circuito de Monte-Fuji, também por razões orçamentárias.

"Ao considerar as atividades de competição para o próximo ano e além, em médio prazo, Toyota Motor decidiu retirar-se da Fórmula 1, levando em conta a grave situação econômica atual", afirma o fabricante japonês, que leva dois anos fiscais consecutivos de perdas.



A equipe japonesa começou a participar da Fórmula 1 em 2002 e seus planos eram continuar até 2012, mas a "grave situação econômica atual", como assinala na nota, provocou uma retirada antecipada da modalidade mais famosa do automobilismo mundial.

Em 2009, a Toyota foi a quinta colocada no Mundial de Construtores e teve como dupla de pilotos durante grande parte do ano o italiano Jarno Trulli (32,5 pontos) e o alemão Timo Glock (24 pontos). Nas corridas finais, no Brasil e em Abu Dhabi, Glock, que ainda se recuperava de uma lesão na vértebra sofrida no GP do Japão, foi substituído por Kobayashi, que foi bastante elogiado e marcou três pontos nos dois GPs.

Resultados financeiros serão divulgados nesta quinta

A empresa japonesa divulgará nesta quinta-feira seus resultados financeiros no primeiro semestre fiscal, de abril a setembro, no qual se preveem mais números vermelhos. Segundo a agência local "Kyodo", a decisão tomada pela Toyota pretende diminuir o custo milionário de sua participação na alta competição e agora espera encontrar um comprador na Europa para sua escuderia.

A Honda, que saiu da F1 no final da temporada 2008, vendeu sua escuderia à Brawn GP, ganhadora da competição desde ano com o piloto Jenson Button. Em seu comunicado, Toyota Motor agradece o apoio dos torcedores por respaldo e assegura que tratará de conseguir a melhor solução para os empregados de sua escuderia e aqueles que se veem afetados por esta decisão.

No passado ano fiscal, concluído em março, a empresa japonesa teve suas primeiras perdas líquidas e operativas de sua história, e para este ano espera repetir os números vermelhos. Entre abril de 2008 e março de 2009 a Toyota perdeu 436,937 bilhões de ienes (R$ 8,4 bilhões) e calcula que no ano que acabará em março de 2010 perderá outros 450 bilhões de ienes (R$ 8,7 bilhões).

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com