São Paulo enfrenta o Inter pela liderança

O duelo coloca frente a frente duas equipes que vivem situações idênticas

O Morumbi será palco de um dos jogos mais importantes da 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. São Paulo e Internacional se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h50 (horário de Brasília), em um confronto que vai além dos três pontos para o vencedor. O triunfo vale a liderança temporária da competição, e na quinta-feira restará a torcida por derrotas de Palmeiras e Atlético-MG contra Goiás e Fluminense, respectivamente.



O duelo coloca frente a frente duas equipes que vivem situações idênticas. Elas começaram a competição como favoritos, oscilaram demais, chegaram a ficar fora do G-4 e renasceram após vencerem um clássico regional. No último fim de semana, o Tricolor bateu o Santos por 4 a 3, na Vila Belmiro, e o Internacional levou a melhor sobre o Grêmio por 1 a 0, no Beira-Rio.

Atrações não faltam no clássico que acontecerá no Cícero Pompeu de Toledo. Comandado por Alecsandro, vice-artilheiro do Brasileirão, com 15 gols, o Inter tem o segundo melhor ataque do Brasileirão, com 54 gols, e encara o São Paulo que, comandado por Miranda, possui a melhor defesa do torneio, com 34 gols tentos sofridos em 31 partidas disputadas. Além disso, os donos da casa confiam na força de Washington, que costuma crescer nos momentos decisivos.

Na tabela de classificação, o equilíbrio predomina: Internacional e São Paulo têm 52 pontos. Os gaúchos levam a vantagem por terem uma vitória a mais (15 a 14). Os colorados, no entanto, tem um pequeno tabu para quebrar nesta quarta-feira. O Inter não sabe o que é vencer no Morumbi desde 2005, quando Tinga, Fernandão e Iarley marcaram os gols da vitória por 3 a 1. De lá para cá, foram três partidas e três vitórias do Tricolor.

O encontro é tratado pelos dois lados como mais uma final em um campeonato por pontos corridos. Afinal, o vencedor pode não só se fortalecer na briga pela taça como também empurrar o perdedor para longe do título. Um empate será ruim para ambos, pois os dois podem ser ultrapassados pelo Flamengo, que está em quinto, com 51 pontos e enfrenta o Barueri nesta quarta.

- O vencedor sai fortalecido, e o derrotado vai ter de realizar quase que um milagre para seguir na briga. Até vai seguir, mas fragilizado e dependendo ainda mais dos outros times - analisou o técnico são-paulino Ricardo Gomes.

Sem Rogério Ceni, mas com Richarlyson

Gomes não terá nesta partida o capitão Rogério Ceni, expulso contra o Santos. Bosco será o substituto. O treinador bem que tentou fazer mistério sobre o escolhido para o gol, mas acabou entregando que o camisa 22 será o titular. No meio, Richarlyson está de volta após cumprir suspensão automática. Apesar de não confirmar, Gomes deve escalar o jogador ao lado de Hernanes, deslocando Jean novamente para a lateral. Com isso, Adrián González, que chegou a desmaiar durante uma coletiva no início da semana, volta ao banco. O treinador explicou que o time muda a forma de jogar com Jean na lateral e Richarlyson no meio.

- Há uma diferença, sim. O Adrián conhece mais a posição de lateral, e o Jean está se adaptando e gostando. Quando coloco o Jean no meio o jogo é um, e com o Richarlyson é outro. Ambos têm boa pegada e técnica, mas se desenvolvem de forma diferente durante a partida - comparou o comandante.

Confiança colorada

A vitória sobre o arquirrival, na última rodada, deu ainda mais confiança ao elenco do Internacional. O elenco treinou nesta terça-feira no Palmeiras, e o técnico Mário Sérgio pediu que o time encare a partida como se fosse uma batalha. Os jogadores entenderam o recado e deixam claro que farão o que for necessário para que a equipe, após 22 rodadas, volte a ocupar a liderança da competição.

- Temos sete decisões pela frente. A primeira é conta o São Paulo. Como temos um jogo em casa no fim de semana, contra o Botafogo, uma vitória no Morumbi nos deixará em ótima situação na tabela ? lembrou o atacante Alecsandro, que mais uma vez vai encarar o irmão Richarlyson, um dos destaques do time de Ricardo Gomes.

Em relação ao time, mistério total. Tudo por causa da ausência do argentino e líder da equipe Guiñazu, que levou o terceiro cartão amarelo. A tendência é que o time vá a campo no 3-5-2. Na zaga, Fabiano Eller recupera a sua vaga. Daniel continuará na ala direita, enquanto Taison e Alecsandro deverão formar a dupla de ataque.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com