Tricolor vai atrás de Dorival; Baresi fará parte da equipe

Tricolor vai atrás de Dorival; Baresi fará parte da equipe

Ex-técnico do Santos e comandante interino do São Paulo são amigos de longa data desde que atuaram juntos pelo Santo André, em 2000

Dorival Júnior só não será o próximo técnico do São Paulo se as partes não chegarem a um acordo financeiro. A diretoria, até para deixar esfriar a polêmica saída do treinador do Santos, diz que só vai pensar no assunto a partir da próxima semana. Mas a verdade é que já houve uma consulta inicial do clube do Morumbi. E uma coisa está praticamente decidida: mesmo que o treinador assuma o Tricolor, o interino Sérgio Baresi fará parte de sua comissão técnica.

Dorival Júnior e Sérgio Baresi são amigos de longa data no futebol. Jogaram juntos no Santo André, em 2000. Depois, quando o então volante Júnior largou o futebol e virou treinador, comandou o Ramalhão, que ainda tinha o beque na equipe. Perguntado se estava preocupado em perder o cargo para o ex-santista, o interino tricolor não mostrou muita preocupação.

- Sou funcionário e estou em uma missão grandiosa de a cada rodada me aproximar da parte de cima da tabela. Já trabalhei com o Dorival e tenho um carinho especial por ele ? afirmou Baresi.

Na nova comissão técnica, Baresi ficaria alternando o seu tempo entre o CT da Barra Funda e o CT de Cotia. Além de ajudar Dorival no dia-a-dia, ele seria o responsável por fazer a transição dos garotos que estiverem preparados para atuar pela equipe profissional. O interino, segundo a reportagem apurou, vê com bons olhos a chegada de Dorival Júnior, que nesta semana vai descansar com familiares na cidade de Araraquara, no interior paulista. As duas partes, inclusive, trocaram telefonemas nesta semana.

Uma pessoa ligada à diretoria do clube do Morumbi disse que essa saída será também para reconhecer o bom trabalho feito por Baresi.

- É preciso ver o que ele fez de bom. Colocou vários garotos em ação. É por aí que as coisas deverão acontecer - afirmou.

O Tricolor fará tudo com muita calma, até porque não quer ser apontado como o pivô da crise entre o técnico e sua ex-equipe. No Peixe, alguns dirigentes desconfiam que o treinador mudou de ideia no caso da punição do atacante Neymar, porque já teria uma oferta são-paulina nas mãos, o que foi desmentido pelo próprio treinador, em entrevista concedida na última quarta.

No clube da Baixada Santista, Dorival Júnior ganhava R$ 350 mil mensais. No Tricolor, dificilmente ganhará isso. Muricy Ramalho, após conquistar três títulos brasileiros, chegou ao valor de R$ 380 mil mensais. Ricardo Gomes, último técnico efetivo a trabalhar no time do Morumbi, ganhava R$ 160 mil mensais. Durante a semana especulou-se que o clube teria oferecido R$ 480 mil mensais a Dorival, fato que foi desmentido rapidamente pelos cartolas do Morumbi.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com