Valdivia discorda de greve e diz que diretoria do Timão é quem deve agir

- Depende. Pela violência da torcida do Corinthians, como se comentou recentemente, não (apoiaria a greve)

Depois de Fernando Prass, Valdivia foi outro jogador do Palmeiras a se posicionar contra a possibilidade de greve no Campeonato Paulista. A medida, cogitada pelo Bom Senso FC e pelo Sindicato de Atletas de São Paulo, mas que a princípio não será posta em prática, teria a intenção de protestar contra a violenta invasão ao CT do Corinthians, no sábado passado. Ninguém foi preso.

- Depende. Pela violência da torcida do Corinthians, como se comentou recentemente, não (apoiaria a greve). Não adianta nada a gente fazer greve se a diretoria do Corinthians não fizer como o Paulo Nobre, que tem uma postura firme com as torcidas organizadas - disse o camisa 10 do Verdão, em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo".

O Mago se refere ao corte de relações da diretoria do Verdão com todas as uniformizadas do clube, motivado justamente por uma tentativa de agressão ao chileno, no início do ano passado, em um aeroporto da Argentina. Na ocasião, uma xícara atirada na direção de Valdivia atingiu Fernando Prass e provocou um corte na orelha do goleiro.

Assim como Prass, o armador participa das reuniões do Bom Senso FC, que prega mudanças no calendário e o fair play financeiro para os clubes do país.

- Aos poucos, o movimento vai dar certo. Os jogadores do futuro é que vão se beneficiar. Se os sindicatos fossem mais duros, não precisaria do Bom Senso - acrescentou o Mago, confirmado como titular para o duelo deste sábado, contra o Osasco Audax, neste domingo.

Fonte: Extra