Vascaíno e botafoguense selam a paz

Demonstrando maturidade, o garoto Caio recebeu o vascaíno de peito aberto e sem mágoas no coração

Um animado bate-papo chamou a atenção de muita gente que passou na tarde de segunda-feira em um shopping na Zona Sul do Rio. O alvinegro Caio e o vascaíno Nilton, protagonistas na decisão da Taça Guanabara, se reencontraram pela primeira vez após a final e passaram a limpo o polêmico carrinho que custou a expulsão do volante e deixou marcas no joelho do atacante. Nove dias depois da decisão, aquele jogo não saiu da cabeça de Nilton, que ontem teve o seu dia de perdão.

"Eu vi o Caio pela TV, depois do jogo, comentando que não havia necessidade de ter feito uma jogada tão dura. Na mesma hora pensei em pedir desculpas, em dizer a ele que foi um lance que não é do meu feitio. Hoje estou tendo essa oportunidade", afirmou o volante, agradecido pelo encontro.

Demonstrando maturidade, o garoto Caio recebeu o vascaíno de peito aberto e sem mágoas no coração. "Isso para mim já é passado. São coisas que acontecem no futebol, com a cabeça quente. Estou muito feliz de estar perto de um jogador como o Nilton, que admiro. Você é meu amigo, já passou", disse.

Para que tudo ficasse bem claro, Nilton fez questão de explicar a jogada que ocorreu aos 26min do segundo tempo, quando Caio ia puxar o contra-ataque e desabou no chão, após levar o duro carrinho.

"Foi uma jogada muito rápida. Na hora, esperei o domínio dele e fui convicto de que acertaria a bola, mas ele foi mais rápido. Achei que tivesse acertado o pé dele, mas depois fiquei sabendo que foi o joelho. Ainda bem que não aconteceu nada", disse o vascaíno.

Depois das explicações, os dois fizeram questão de selar o pacto de paz com um brinde de água mineral. "Depois vão dizer que é vodca", brincou o talismã alvinegro, ressaltando que esperava um pedido de desculpas do volante durante a semana passada, apesar de já tê-lo perdoado. "O importante é que está tudo resolvido entre nós e hoje posso estar ganhando um amigo".

Ao que Nilton devolveu de primeira. "Quero seu telefone, trocar ideias sobre futebol. Você tem uma cabeça boa, humildade, e com o futebol que está apresentando, só tem a crescer".

Caio não fez por menos e elogiou o volante, que acompanhava desde o Corinthians. "O legal é que desse encontro pode começar uma amizade", afirmou o garoto.

Amigos de fé ou não, a paz foi selada entre os dois.

Fonte: Terra, www.terra.com.br