Vascaínos apostam em trabalhos físicos para superar o cansaço

Em vez de coletivos e treinos táticos, a comissão técnica preferiu trabalhos regenerativos para recuperar fisicamente os jogadores


Vasco adota o

Nesta reta final de temporada, o Vasco vem sofrendo com o desgaste e o cansaço físico e mental de quem vem jogando partidas decisivas. Uma atrás da outra, sem descanso. E desde que optou por disputar tanto o Campeonato Brasileiro quanto a Copa Sul-Americana com o time titular, o técnico Cristóvão Borges vem adotando uma outra tática: o "pijama training". Em vez de coletivos e treinos táticos, a comissão técnica preferiu trabalhos regenerativos para recuperar fisicamente os jogadores.

No último mês, boa parte do grupo treinou muito mais na sala de musculação e fisioterapia do que batendo bola em campo. Em apenas duas oportunidades desde o dia 3 de novembro, o técnico Cristóvão Borges conseguiu comandar uma atividade tática com o grupo completo. Nos outros dias, o Vasco buscava recuperar o grupo que entrava nos jogos. Além destes treinos, só mesmo nos leves e descontraídos recreativos de véspera de jogo que o grupo se encontrava em campo.

Este fato foi fruto de uma mudança de estratégia justamente neste mês. A partir do momento que passou a jogar tanto no Brasileiro como na Copa Sul-Americana com o grupo completo, a recuperação dos jogadores passou a ser prioridade. Então o treino físico regenerativo que era realizado apenas no dia seguinte dos jogos passou a ser realizado em dois dias para a maioria dos jogadores. Apenas algumas exceções já voltavam a campo em uma terça-feira após jogar no domingo, por exemplo.

Segundo o preparador físico do Vasco, Rodrigo Poletto, cada jogador tem um acompanhamento personalizado e recebe uma carga de treinamentos específica. Mas ele reconhece que a prioridade no último mês foi mesmo a recuperação.

- O desgaste foi intenso por parte dos jogadores. Não foi fácil aguentar a maratona de jogos e viagens. Em um mês entramos em campo oito vezes. É muita coisa. Mas o grupo suportou bem, e nós demos todo o respaldo necessário - afirmou.

O preparador físico vascaíno fez questão de frisar que a recuperação não tem relação nenhuma com descanso. Poletto lembrou que os treinos regenerativos são compostos de sessões de fisioterapia e musculação.

- Em determinados momentos pode se pensar que os jogadores ficam deitados no vestiário, mas não é isso. Os trabalhos são específicos para cada um. Em determinados jogadores a gente coloca uma carga maior, em outras uma menor, mas todos trabalaham muito. Foram treinos tão intensos como os que foram para o campo - explicou.

Neste sábado, os jogadores se reapresentam às 9h (de Brasília) em São Januário para o último treinamento desta temporada. Como sempre se realiza nas vésperas de jogo, o grupo irá disputar o descontraído e animado recreativo. Mais um para a conta dos cansados jogadores vascaínos.

Fonte: GloboEsporte