Vasco e Bota abrem era de clássicos hoje pós-fechamento do Engenhão

Rivais se enfrentam nesta quarta-feira, em Volta Redonda, no primeiro jogo depois da interdição de estádio que sofre com problemas estruturais

Vasco e Botafogo inauguram nesta quarta-feira uma espécie de nova era do futebol carioca. O clássico que começa às 19h30m, pela quarta rodada do Grupo A da Taça Rio, marca o início do Estádio Raulino de Oliveira como a alternativa para abrigar os clássicos regionais após a interdição do Engenhão, que sofre com problemas estruturais. Assim, Volta Redonda será, por tempo indeterminado, a cidade-sede dos jogos entre os maiores rivais do Rio de Janeiro.

Equipes que decidiram a Taça Guanabara, ainda no Engenhão, Vasco e Botafogo vivem momentos distintos no segundo turno. Garantido na final do Carioca, o Alvinegro soma seis pontos em duas partidas disputadas (duas a menos do que o líder Volta Redonda, que tem 12). Já o time cruz-maltino está em situação desesperadora. Somou apenas um ponto em três rodadas e é o lanterna do Grupo A. No caso de um tropeço, o time de Paulo Autuori perderá as chances de chegar à semifinal da Taça Rio.

O inusitado será o fato de o confronto ser disputado em Volta Redonda, onde os dois clubes não contam com bons retrospectos em clássicos. O Vasco sofreu duas derrotas no Raulino de Oliveira em 2005, quando perdeu para Flamengo (1 a 0) e Fluminense (3 a 2). Contra os outros três grandes do Rio, sua única vitória aconteceu em 1976, em um amistoso, por 2 a 0, sobre o Botafogo.

A situação não é diferente com o Glorioso. O time venceu por 3 a 1 o Fluminense na inauguração do estádio em 1951. Desde então, em clássicos, foram três derrotas (duas para o Fluminense e uma para o Flamengo), todas em 2005, e um empate, com o Fluminense, em 2011. Para mudar o cenário, o técnico Oswaldo de Oliveira colocou Bruno Mendes no lugar de Seedorf, suspenso, na volta a campo 10 dias depois da vitória por 2 a 1 sobre o Madureira.

O árbitro Luís Antônio Silva dos Santos apita a partida, auxiliado por Wagner de Almeida Santos e Jackson Lourenço Massarra dos Santos.

Fonte: GloboEsporte