Vasco e Flu se encontram com tentativa de trégua após brigas

O Fluminense encara clássico com o Vasco como chance para manter o embalo e oportunidade para deixar um adversário direto na briga pela liderança

Neste sábado, às 18h30, no Engenhão, Vasco e Fluminense se enfrentam pela última rodada do 1º turno do Campeonato Brasileiro. Além da importância do duelo para as pretensões dos times na parte de cima da tabela, o encontro marca uma reaproximação das diretorias após um período recente de desentendimentos, mudanças nos comandos do futebol e incertezas em relação ao futuro.


Vasco e Flu se encontram com tentativa de trégua após brigas, mas em meio a incertezas

Além do assédio tricolor em relação a alguns jogadores cruzmaltinos à época, casos de Leandro Amaral e Conca, foi em 2009 que a relação se deteriorou de forma significativa. Na ocasião, o Gigante da Colina perdeu seis pontos em julgamento no TJD e acabou eliminado da Taça Guanabara. O motivo foi a escalação irregular do meia Jéferson. No entanto, um dos grandes entusiastas do processo foi o Tricolor, que ajudou a provar a falha vascaína.

Desde então, as diretorias racharam e passaram a conviver apenas profissionalmente. O último episódio que causou desagrado em São Januário deu-se por conta de seguidas propostas desde 2011 para a contratação do diretor executivo Rodrigo Caetano. O Vasco não gostou da forma como o processo aconteceu e ignorou as iniciativas. Porém, o dirigente se desligou do clube no final do ano passado e aportou nas Laranjeiras no início de 2012.

O fato promoveu mudanças na Colina. Com a saída de Caetano, Daniel Freitas herdou o cargo e a diretoria cometeu alguns equívocos. A contratação frustrada de Franck Assumpção, demitido pouco tempo depois, foi um deles. Por sua vez, Rodrigo Caetano não possui nas Laranjeiras o poder que tinha no Cruzmaltino. No Tricolor, ele divide as tarefas principalmente com Sandro Lima, vice-presidente de futebol. Existem incertezas enquanto ao trabalho nos dois rivais e os bons resultados são imprescindíveis para a manutenção dos profissionais nos clubes por um longo prazo.

Enquanto cada um resolve os seus problemas, uma trégua parece ter sido dada nas disputas de bastidores. Recentemente, o Vasco cedeu São Januário para o confronto entre Fluminense e São Paulo pelo Brasileirão. Na ocasião, o presidente Roberto Dinamite justificou que a decisão foi tomada pelo ?bem do futebol carioca?. A atitude desagradou aos torcedores vascaínos, que promoveram protestos contra a diretoria e não aceitaram o empréstimo do estádio.

As cartas estão na mesa para a resolução definitiva dos impasses. No clássico, cada time tentará a vitória, enquanto nos bastidores será mais uma oportunidade para o encontro das diretorias e a tentativa de zerar os desagradáveis episódios de um passado recente.

Fonte: UOL