Vasco vence e dispara no topo da Série B

Na próxima rodada, o Vasco recebe o Bahia, sábado, às 16h10m, no Maracanã.

Disparou de novo. Após três rodadas com o risco de perder a liderança da Série B para o Guarani, o Vasco despachou o ABC, no Estádio Frasqueirão, em Natal, por 3 a 2, nesta terça-feira, pela 31ª rodada, e ampliou a vantagem na ponta da competição. Beneficiado pela derrota do time de Campinas para o Paraná, por 2 a 0, o Cruzmaltino agora tem quatro pontos a mais que o rival na luta pelo título.

Fernando, Carlos Alberto e Fumagalli marcaram os gols do triunfo que levou o Vasco aos 63 pontos. Gaúcho e Júnior Negão descontaram para o ABC, que contou com o apoio de mais de 11 mil torcedores, mas não evitou a quarta derrota consecutiva. Na tabela, a situação é dramática: com 31 pontos, ocupa a vice-lanterna, a quatro do Bahia, primeiro fora do Z-4.

Na próxima rodada, o Vasco recebe o Bahia, sábado, às 16h10m, no Maracanã. No mesmo dia e no mesmo horário, o ABC vai até Campinas encarar mais uma parada duríssima: o Guarani, no Brinco de Ouro da Princesa.

Com o Vasco querendo garantir o acesso o mais rápido possível, e o ABC em situação desesperadora na luta contra a degola, a partida começou movimentada. Aos dois minutos, Ernani deu o primeiro chute a gol em cobrança de falta e isolou. Em seguida, Gaúcho deu o troco na mesma moeda e ao menos assustou Fernando Prass.

A diferença na tabela, no entanto, deixava claro os riscos que o time potiguar passava ao tentar jogar de igual para igual. Com muitos espaços na defesa, o castigo veio já aos sete minutos: Fumagalli fez boa jogada pela direita e cruzou na área. Augusto Recife cortou pela linha de fundo, mas na cobrança de escanteio Titi desviou no primeiro pau e Fernando, livre na pequena área, abriu o placar.

Com uma avenida para atacar, Paulo Sérgio se mandou para a frente e cruzou com perigo aos 10. Gaúcho evitou a conclusão de Élton. Dois minutos depois, a jogada se repetiu, Carlos Alberto conseguiu a cabeçada, mas Tiago salvou o ABC. A disposição ofensiva do lateral-direito, porém, deixou Amaral em situação desconfortável na defesa.

Mano a mano com o veloz Ricardinho, o volante foi driblado aos 13 e cometeu pênalti. Gaúcho bateu, fez o gol, mas o árbitro Wilson Luiz Semene identificou invasão e mandou voltar. Na repetição, cobrança idêntica e empate no placar.

Em mais um duelo entre Amaral e Ricardinho, aos 19, por pouco o ABC não conseguiu a virada. Três minutos depois, Bruno Barros foi quem levou perigo ao gol de Fernando Prass em chute rasteiro. Mal na partida, o Vasco acordou aos 27. Élton serviu Ernani, que encarou e foi derrubado por Audálio na área. Pênalti convertido por Carlos Alberto.

O ABC buscou a reação imediata. Aos 32, Junior Negão fez jogada de pivô de futsal para cima de Fernando, girou bonito e acertou a trave. Com domínio territorial, o Vasco desacelerou a partida e administrou o resultado. Aos 44, os cariocas ainda tiveram a chance de ampliar, mas Nilton errou a cabeçada na pequena área após cruzamento de Paulo Sérgio.

Na volta para o segundo tempo, o ABC não perdeu tempo. Logo aos 13 segundos, Júnior Negão recebeu de Bruno Barros na área, limpou a jogada e acertou em cheio o canto direito de Fernando Prass: 2 a 2. A igualdade deixou o jogo mais pegado.

Marcando forte, as duas equipes reduziam os espaços para a criação de jogadas ofensivas e cometiam muitas faltas. E foi desta maneira que o Vasco voltou a ficar em vantagem. Aos 14, Alexandre Oliveira derrubou Carlos Alberto próximo da área. Fumagalli assumiu a cobrança e marcou seu primeiro gol com a camisa cruzmaltina.

Novamente em jogada de bola parada, o time carioca assustou mais uma vez. Aos 18, Paulo Sérgio chutou com efeito e obrigou Tiago a fazer bela defesa. A superioridade mais uma vez deixou os vascaínos acomodados, e o ABC partiu para o abafa.

Aos 29, Júnior Negão desperdiçou boa oportunidade ao tentar encobrir Fernando Prass. Dez minutos depois, um lance incrível: após cruzamento na área, Salmir se enroscou com Ernani e perdeu o gol na frente de Fernando Prass. A bola, no entanto, sobrou limpa para Zé Eduardo, na pequena área, mas o jogador potiguar acertou a zaga cruzmaltina e prolongou o calvário do ABC.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com