Veja!! Roberto Carlos fala sobre a crise no Corinthians e diz que ano não vai acabar sem títulos

Veja!! Roberto Carlos fala sobre a crise no Corinthians e diz que ano não vai acabar sem títulos

Não pensamos em acabar o ano sem títulos, diz Roberto Carlos

O Corinthians não vive uma boa fase na temporada. Antes líder isolada, a equipe alvinegra somou pífios dois pontos nos últimos 15 disputados, foi ultrapassada por Cruzeiro e Fluminense e já começa a ver até a vaga na Libertadores do ano que vem ameaçada. Contudo, o lateral-esquerdo Roberto Carlos, principal reforço do clube no ano de seu centenário, afirmou que não há motivos para preocupações e que o elenco continua focado no título.

"Não pensamos nisso (em acabar o ano sem troféus). Estamos na busca pelo título e na briga a cada rodada. Nossa meta é o Campeonato Brasileiro e tenho certeza que podemos chegar", disse o jogador, em entrevista exclusiva concedida ao Terra na última semana, dias antes da queda do técnico Adilson Batista - ocorrida após o revés por 4 a 3 para o Atlético-GO, neste domingo, no Pacaembu.

Além disso, o camisa 3 destacou seu sentimento afetivo pelo time brasileiro que o acolheu - "valeu a pena ter voltado ao País para vestir essa camisa" - e preferiu não fazer comentários sobre seu futuro no futebol - "agora, só quero pensar no Corinthians".

Confira abaixo, na íntegra, a entrevista com o lateral Roberto Carlos:

O Corinthians derrotou o Fluminense - rival direto pelo título - fora de casa, e o Santos, campeão estadual e da Copa do Brasil, em plena Vila Belmiro. Mesmo assim, não embalou. O que falta para o Corinthians embalar de vez rumo ao pentacampeonato brasileiro?

Roberto Carlos - O Corinthians está fazendo um grande Campeonato. O Brasileiro é longo e difícil. Cada partida é uma decisão. Conseguimos vitórias espetaculares, mas se analisar bem tivemos perdas importantes no elenco e mesmo assim continuamos fortes. Vamos brigar até o final para coroar a torcida nesse ano tão importante.

Até o início do segundo turno, o Corinthians era "imbatível" em casa, mas não vencia como visitante. Agora, a história inverteu. Pela sua experiência, por que você acha que aconteceu essa mudança brusca nos resultados corintianos?

Roberto Carlos - Quando estamos na frente, viramos a equipe a ser batida. Os times sabem da nossa força jogando em casa e mudam o estilo de jogar. Tudo fica mais difícil, mas melhoramos fora de casa e estamos buscando esse equilíbrio até o fim.

A possibilidade de acabar o ano do centenário sem títulos já é preocupante para os jogadores, que tem que conviver com a pressão do aniversário do clube?

Roberto Carlos - Não pensamos nisso. Estamos na busca pelo título e na briga a cada rodada. Queríamos o título da Libertadores, mas não foi possível. Agora, nossa meta é o Campeonato Brasileiro e tenho certeza que podemos chegar. O trabalho está sendo feito nesse sentido.

Apesar de ser um dos jogadores com mais idade no elenco, vc é 3º que mais entrou em campo nesse ano (atrás apenas do Jucilei e do Elias, que são bem mais novos). A que você atribui todo esse "fôlego"?

Roberto Carlos - Bom, o fôlego vem de muito trabalho e treino. É claro que meu biótipo ajuda bastante. Vestir essa camisa é um orgulho muito grande então me dedico para sempre estar ajudando.

O Corinthians encara o Palmeiras na 31ª rodada, quando o Campeonato estiver chegando na reta final. Acredita que esse pode ser o jogo-chave da campanha do título?

Roberto Carlos - Se você analisar o campeonato, vai perceber que a partir de agora todo jogo é chave. O Palmeiras será mais um. Não adianta vencer só o Palmeiras, temos que conquistar vitórias até lá.

O Palmeiras é o único rival corintiano que vc ainda não venceu em campo, já que naquele 1 a 0 do início do ano você recebeu um cartão vermelho no início da partida. Vencer o arquirrival, em um jogo crucial no ano do centenário do Corinthians, teria um sabor especial?

Roberto Carlos - Vencer o rival é sempre bom. A torcida fica eufórica, os jogadores felizes, é uma alegria. Uma pena eu não ter participado daquele jogo. Mas no próximo quero estar em campo com certeza.

Falando em Palmeiras, você foi ídolo no clube nos anos 90. Alguma vez algum torcedor palmeirense já te "cobrou" na rua pelo fato de hoje você estar identificado com a torcida do Corinthians?

Roberto Carlos - Sempre busquei fazer o melhor onde passei. O que existem são brincadeiras normais, mas consegui o respeito das pessoas. Hoje, estou no Corinthians e muito identificado.

Você pensa em encerrar a carreira no Corinthians, assim como anunciou o Ronaldo na semana passada? Se sim, qual seria a motivação para isso? Se não, o que o Roberto Carlos pensa para o futuro profissional?

Roberto Carlos - Sinceramente, não quero pensar no fim de carreira ainda. Sempre digo que enquanto eu tiver condição quero jogar. Claro que essa hora vai chegar, mas por enquanto estou muito bem.

Quando pendurar as chuteiras, pensa em continuar no clube em alguma função de comissão técnica, diretoria? O que você pretende fazer nessa aposentadoria?

Roberto Carlos - Como eu disse não paro para ficar pensando muito. Prefito deixar a vida mostrar naturalmente os caminhos. Fazer muitos planos agora não adianta. Estou conseguindo jogar em bom nível e quero pensar no Corinthians.

Com quase um ano de clube, você pode dizer que valeu a pena ter voltado ao Brasil para vestir justamente a camisa do Corinthians? Por que?

Roberto Carlos - Valeu. Valeu demais. Fui muito bem recebido aqui desde o primeiro dia. Voltar ao Brasil já estava nos meus planos e o Corinthians abriu essa porta. Não tenho nem palavras para agradecer a confiança e o carinho. É uma história que sempre ficará marcada na minha vida.

Fonte: Terra, www.terra.com.br