Vice de futebol nega divergências e diz: "Renato sempre foi consenso"

Dirigente confirma que patrocinador pagará parte do salário de novo treinador e garante que tem "ótimo" relacionamento com atacante Fred: "Não houve a

Novo vice-presidente de futebol anunciado pelo Fluminense na manhã de terça-feira, Ricardo Tenório começou efetivamente a atuar na negociação para fechar a contratação de Renato Gaúcho na noite de segunda, quando as partes conversaram e acertaram os últimos detalhes. Ele negou que tenha ocorrido qualquer divergência entre o presidente da Unimed, Celso Barros, e o presidente do clube, Peter Siemsen, apesar das declarações do patrocinador dando conta de que não poderia ficar "refém" da política do clube.

Tenório retorna ao clube quatro anos depois de participar da arrancada no Brasileirão de 2009, que livrou o Fluminense do iminente rebaixamento e fez surgir o apelido de "Time de Guerreiros" para os tricolores. No papel de bombeiro, ele deu sua versão para a negociação do novo técnico tricolor. Gente de peso no clube deu o acerto com Renato Gaúcho como sacramentado desde a noite de sábado. Apesar do anúncio só ter acontecido na noite de terça-feira, Tenório afirma que não houve impasse, apenas discussão de detalhes pendentes para o anúncio oficial do treinador.

- Falou-se muito, mas nunca houve discussão, nem racha, sempre consenso entre o presidente e a patrocinadora. É um projeto vitorioso e presidente e patrocinadora acreditam nele. Houve discussão de detalhes, com a participação de um e de outro, mas o Renato sempre foi consenso. A minha participação foi por ordem do nosso presidente. A verdade é: eu cheguei, vinha conversando com ele há algum tempo para selar a parceria, e somos todos tricolores, mostra que há união. Anunciamos oficialmente e venho tendo a conversa com eles de forma amistosa e tranquila. O que estão falando não procede. Estamos tranquilos e confiantes para o ano que vem. É mais importante que ficar discutindo. Todos querem trabalhar em função do Fluminense.

Ao comentar sua atuação no caso, o novo vice de futebol disse que as discussões eram internas e que o nome de Renato estava acordado entre todas as partes.

- Desde ontem à noite (segunda-feira) nós entramos para fechar com o presidente. Não existiu isso (impasse), não. A gente vem conversando e acertando os detalhes. Ontem conversamos e hoje sacramentamos. É importante que se diga: o nome do Renato sempre foi consenso. Era uma discussão nossa interna, e agora está tudo resolvido, como queriam as partes. Ninguém queria diferente do que está agora.

Atrito com Fred?

O cartola confirmou que a Unimed bancará parte do salário do treinador e evitou falar sobre o planejamento para 2014.

- Sim, como faz com todo profissional no Fluminense, na maioria deles, (a Unimed) tem participação no direito de imagem. Estou chegando junto com o presidente, vamos sentar e alinhar as coisas e vamos trabalhar o planejamento. A comissão está formada, o patrocinador está alinhado e vamos na medida do possível fazer um belo planejamento para termos um belo ano.

A última passagem do dirigente pelas Laranjeiras, contudo, ficou marcada por atritos. O principal deles - que chegou a ser divulgado na época como um dos motivos para a sua saída - foi com Fred, ainda o principal jogador do elenco tricolor. O novo vice de futebol, contudo, nega com veemência qualquer atrito com o jogador e qualifica o relacionamento com o atacante como "ótimo".

Na ocasião, a demissão de Tenório foi decidida pelo então presidente Roberto Horcades e pelo presidente da Unimed, Celso Barros. O atrito com Fred teria acontecido por conta de regras de uso de uniforme na folga durante a pré-temporada no Espírito Santo, depois de uma partida amistosa contra o Rio Branco.

- É um relacionamento ótimo, sempre que o vejo nos cumprimentamos com o maior respeito possível. Não houve atrito nenhum. O Fred é um atleta excepcional, da Seleção e do clube, e não tem atrito nenhum. A relação é ótima e vai ser sempre - disse o vice de futebol.

Fonte: Globo Esporte