Vila e Barradão, duas armas e tanto para Santos e Vitória na final do campeonato

Vila e Barradão, duas armas e tanto para Santos e Vitória na final do campeonato

Paulistas e baianos venceram todas em suas casas - a maioria por goleada.

Os dois times que fazem a final da Copa do Brasil são terríveis dentro de seus estádios. Santos e Vitória chegaram à decisão de forma parecida: fazendo jogos razoáveis longe de casa e arrasando os adversários na Vila Belmiro e no Barradão, respectivamente. O primeiro jogo, em território alvinegro, é nesta quarta-feira, às 21h50m (de Brasília). O desafio para o Leão é tentar acabar com essa escrita diante de milhares de santistas.

Na Vila, o Peixe é soberano. Em quatro jogos, os comandados de Dorival Júnior obtiveram quatro vitórias, marcaram 24 gols - impressionante média de seis por partida - e sofreram apenas três. A campanha começou com uma vitória por 10 a 0 sobre o Naviraiense-MS. Seguiu com outra goleada: 8 a 1 sobre o Guarani. E teve mais dois resultados de 3 a 1, contra Atlético-MG e Grêmio.

Os artilheiros santistas nesses duelos são Neymar, que marcou oito vezes, e André, autor de cinco gols. Contra o Vitória, porém, o técnico Dorival Júnior prefere adotar a cautela.

- São dois times que têm um ótimo aproveitamento dentro de casa. Jogar lá no Barradão é sempre muito complicado e aqui na Vila o Santos tem conseguido se impor.

Dentro de campo, os santistas sabem da importância de um bom placar no jogo de ida. Só assim o time terá maior tranquilidade para decidir o título no Barradão, em 4 de agosto.

- Temos de fazer valer o fator campo para fazer um bom resultado aqui, pois lá vai ser bastante complicado - afirmou Robinho.

No Barradão, só dá Leão

A precaução de Dorival Júnior não é à toa. Mesmo que o Santos consiga um bom resultado na Vila Belmiro, o título não estará garantido. Isso porque, no Barradão, o Rubro-Negro baiano mostra desempenho invejável. O time fez um jogo a mais em casa, pois o Santos eliminou uma partida de volta no duelo contra o Remo, pela segunda fase. Nessas cinco partidas, a equipe treinada por Ricardo Silva não sofreu um gol sequer e ainda marcou 19.

- Temos feito bons jogos em casa. O desafio agora é ir bem na Vila Belmiro para levarmos um resultado interessante para Salvador. Por isso, temos de jogar e não apenas assistir ao Santos - pediu Ricardo Silva.

Quatro das cinco vitórias em casa foram por goleada: 4 a 0 sobre Corinthians-AL, Goiás e Atlético-GO e 5 a 0 contra o Náutico. O goleador da equipe nesses jogos é o atacante Júnior, com cinco gols. Longe do Barradão, porém, a performance cai muito. O time venceu uma, empatou outra e perdeu três. Por isso, a ordem na equipe é ter atenção máxima para não deixar os Meninos da Vila à vontade.

- Sabemos da força deles, mas nós também somos fortes. Respeito muito os atacantes deles, só que são seres humanos como nós - disse o goleiro Lee, que substitui o suspenso Viáfara.

A média de público das duas equipes mostra que seus estádios são verdadeiros caldeirões. Em Santos, o Peixe recebeu, na média, 11.902 pagantes por jogo. Bom número, levando-se em consideração que a Vila tem capacidade para 15.800 pessoas.

No Barradão, o Vitória demorou para atrair sua torcida, mas ela compareceu em massa principalmente na semifinal. Em média, o clube recebeu 16.121 torcedores por duelo. A casa dos rubro-negros tem 35.000 lugares.

Confira abaixo todos os jogos e públicos pagantes dos finalistas em seus respectivos domínios.

Na Vila Belmiro:

10/03 - Santos 10 x 0 Naviraiense - 11.336

14/04 - Santos 8 x 1 Guarani - 8.131

05/05 - Santos 3 x 1 Atlético-MG - 14.245

19/05 - Santos 3 x 1 Grêmio - 13.896

No Barradão:

10/03 - Vitória 4 x 0 Corinthians-AL - 13.917

31/03 - Vitória 5 x 0 Náutico - 12.071

15/04 - Vitória 4 x 0 Goiás - 8.846

28/04 - Vitória 2 x 0 Vasco - 12.881

19/05 - Vitória 4 x 0 Atlético-GO - 32.891

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com