Vitor Belfort afirma: "Não desisti da luta, fui obrigado a desistir"

Vitor Belfort afirma: "Não desisti da luta, fui obrigado a desistir"

O lutador ainda revelou que rganização do UFC o prometeu que o vencedor da nova disputa de Chris Weidman e Lyoto Machida será seu próximo adversario

Diante de todo o alvoroço causado após a Comissão Atlética de Nevada optar por banir o TRT dos esportes de combates dentro do estado, o que implicou em inúmeras consequências - uma delas a saída de Vitor Belfort da disputa de cinturão dos médios contra Chris Weidman, em Las Vegas, no dia 24 de maio - Belfort resolveu fazer um pronunciamento a respeito do ocorrido.

Em breve comunicado, o ex-campeão do Ultimate afirmou que "não desistiu da luta" e que, na verdade, "foi obrigado a desistir" do combate contra Chris Weidman. De fato, o carioca foi forçado a desistir já que faz o uso da Terapia de Reposição Hormonal e a mesma acaba de ser proibida. Porém, em comunicado emitido pelo Ultimate a respeito do caso, o próprio lutador afirmou que "dadas as circunstâncias envolvendo a atual norma, decidira não pedir a licença para lutar no estado de Nevada desta vez".

O lutador ainda revelou que a organização do UFC o prometeu que o vencedor da nova disputa entre Chris Weidman e Lyoto Machida será seu próximo adversário, agora dentro das novas condições da comissão, sem o uso do TRT.

Confira o pronunciamento de Belfort via Twitter

"Nunca desisti de lutar no UFC 173 e nunca falei isso. Portanto, toda informação publicada em qualquer veículo de comunicação anunciando isso não é verdadeira. O que anunciei foi que estarei "desistindo do TRT" e não "desistindo da luta" para continuar o meu sonho de lutar.

O UFC decidiu colocar outro oponente em meu lugar pelo fato de eu não ter tempo hábil de me adequar às novas regras da Comissão Atlética de Nevada. Segundo o UFC, enfrentarei o vencedor de Weidman x Lyotto dentro dos novos regulamentos de todas as Comissões Atléticas.

Lamento que isso tenha acontecido,e agradeço a força e compreensão de todos os fãs, patrocinadores, UFC e as próprias comissões atléticas"

Fonte: lancenet