Vitória empata com Goiás no adeus a Mancini

Rubro-Negro terminou o Brasileirão na 13ª posição, com 48 pontos, e um novo treinador para 2010:

Na despedida de Vagner Mancini, o Vitória apenas empatou com o Goiás por 2 a 2, na tarde deste domingo, no Barradão, pelo Brasileiro, e garantiu a classificação para a Copa Sul-Americana de 2010, mesmo sem vencer. O visitante já estava confirmado na competição internacional.

O Rubro-Negro terminou o Brasileirão na 13ª posição, com 48 pontos, e um novo treinador para 2010: Ricardo Silva, auxiliar, foi efetivado pela diretoria. O Esmeraldino, comandado por Hélio dos Anjos, ficou em nono, com 55 pontos.

Missão de Mancini na despedida

Antes mesmo de a bola rolar, Vagner Mancini avisou que gostaria de se despedir do comando do Vitória com a vaga na Copa Sul-Americana garantida. E encarava um Goiás já sem pretensões na competição e sem vários titulares, que ganharam férias antecipadas.

De início, o time da casa não teve dificuldades para criar boas oportunidades, principalmente com Ramon e Roger. O atacante, aliás, até bateu a cabeça na trave, aos quatro minutos, em uma tentativa de marcar o gol.

O esforço de Roger foi recompensado aos 25 minutos. Ramon, na área, deixou a bola para o atacante, que chutou forte de perto, sem chances para Harlei: 1 a 0 para o Vitória. O centroavante chegou a 15 gols na competição.

O Goiás sentiu o gol e pouco fez para mostrar que estava disposto a buscar o empate. A melhor oportunidade foi aos 44, quando Felipe cobrou uma falta de longe, com força, e obrigou a defesa do Vitória a fazer o corte. O goleiro Thiago Regis, de apenas 18 anos, teve um primeiro tempo tranquilo defendendo o gol do Rubro-Negro.

Novato falha, Goiás vira, mas anfitrião empata

Se o primeiro tempo foi calmo para o novato goleiro, no segundo ele cometeu uma falha que resultou no empate do Goiás. Aos sete minutos, Felipe chutou sem muita força, mas a bola passou por baixo de Thiago Regis e entrou: 1 a 1. A partir daí, o Goiás mostrou mais vontade e equilibrou forças com o Vitória.

Aos 15, o Goiás teve uma grande chance. Douglas sofreu uma falta na entrada da área, e Felipe foi o encarregado de bater. Com muita categoria, o jogador colocou a bola no ângulo esquerdo de Thiago Regis e virou para o visitante: 2 a 1. O jogador assumiu a artilharia do Goiás, com 13 gols, ultrapassando Iarley.

A partir daí, o Vitória tentou partir para cima do visitante de forma desordenada. E deixava espaços para que o Goiás armasse os contra-ataques. E Roger, irritando com uma marcação de falta, chutou uma bola na placa publicitária e recebeu o amarelo.

Aos 29, Ramon tentou pela direita e passou para Anderson Martins, que devolveu. Mas o chute do meia saiu forte demais. O dono da casa começava a mostrar sinais de desespero. E o Goiás, aos 30, já começava a pensar em administrar o resultado.

Talvez o time goiano tenha desistido do jogo cedo demais. Aos 37, Anderson Martins fez uma bela jogada pela esquerda e obrigou Harlei a fazer uma defesa quase impossível, mas Leandro Domingues pegou o rebote de primeira e empatou: 2 a 2. O Vitória estava de novo na Sul-Americana.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com