Para manter vivo o sonho do tetra, Brasil enfrenta a Rússia após tropeço

E, agora, precisará passar novamente por ela, se quiser manter vivo o sonho do tetra no Mundial da Polônia.

A seleção brasileira de vôlei vem tranquila no Mundial da Polônia, mesmo com lesões do levantador Bruninho o time conseguiu se superar na ausência do capitão. Na volta dele, derrubava o seu maior rival dos últimos anos, vencendo a Rússia por 3 sets a 1. E, agora, precisará passar novamente por ela, se quiser manter vivo o sonho do tetra no Mundial da Polônia. Depois do primeiro tropeço, exatamente diante dos anfitriões, a seleção volta à Atlas Arena nesta quarta-feira para medir forças com Muserskiy & Cia. 

Para não depender de outros resultados, a seleção precisa ganhar dos russos por 3 a 0 ou 3 a 1, o que lhe daria a soma de quatro pontos. Assim, mesmo que os russos derrotem os poloneses, na quinta, chegariam no máximo a três. Caso o Brasil ganhe no tie-break, ficará na dependência de uma vitória da Polônia.

- Vamos entrar para ganhar. Não tenha dúvida. É importantíssima essa vitória. Não há outra opção ou escolha. Agora sim, não tem jeito. É ganhar ou ganhar, se não é casa. Eu, particularmente, não me vejo indo embora antes de ser campeão mundial. Vai ser uma conquista muito importante pra mim - disse Wallace. O desafio não passa apenas por encarar de novo os atuais campeões olímpicos.

Será também saber como a equipe irá se comportar após sofrer seu primeiro revés, sem ter sequer um intervalo para descansar e arejar a cabeça, por conta da contestada mudança do regulamento no domingo. Dias atrás, Bruninho dizia que uma derrota não abalaria ninguém ali. Lembrava que, todas as vezes que o Brasil foi campeão mundial, perdeu um jogo.  

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Globo Esporte