Wanderlei pede luta com Belfort e diz ter superado morte do pai

Wanderlei pede luta com Belfort e diz ter superado morte do pai

Assim como Vitor, Wanderlei tem lutado no peso médio pelos últimos anos, mas tem vontade de subir de categoria, passando a pesar com 93 kg

Um dos lutadores mais queridos da torcida do MMA, o curitibano Wanderlei Silva passou por um drama no mês de agosto, com a morte de seu pai em um acidente de carro no Paraná. Depois de receber apoio dos fãs, principalmente nas redes sociais, o ex-campeão do Pride afirmou que se sente fortalecido para voltar ao octógono e, apesar de não ter compromisso marcado com o UFC, tem em mente a aguardada revanche com Vitor Belfort no meio-pesado, peso em que o carioca enfrentou Jon Jones no último sábado.

Assim como Vitor, Wanderlei tem lutado no peso médio pelos últimos anos, mas tem vontade de subir de categoria, passando a pesar com 93 kg em vez dos atuais 84 kg.

?Tem muita gente que eu gostaria de enfrentar, mas o que mais tenho vontade mesmo é de fazer aquela luta com o Belfort?, afirmou Wanderlei, que perdeu para o carioca em 1998 e o enfrentaria no último mês de junho, na final do The Ultimate Fighter. Uma lesão na mão tirou o oponente do duelo de técnicos do reality show. O veterano encarou Rich Franklin e perdeu por pontos.

?Eu estou tentando subir de categoria e posso lutar com ele no meio-pesado?, completou o veterano de 36 anos, que se ofereceu para lutar o UFC Rio, quando Rampage e José Aldo foram cortados por lesão, e também mostrou vontade de lutar na estreia da organização na China, em novembro.

Wanderlei afirmou que tem mantido o preparo físico em dia, mas, como ainda não tem data para lutar, tem segurado o ritmo mais forte de treinos. Uma das intenções é também estar pronto para desafios que surjam na urgência, como aconteceu com Belfort x Jon Jones.

?Se marcar para o próximo sábado, eu já estaria pronto?, brinca ele, antes de falar sério. ?Eu estou preparado para, se precisar, ficar pronto em três semanas. São tantas emergências, que sei que meu telefone pode tocar em breve. Pode acontecer de a oportunidade cair no colo. É o que aconteceu com o Belfort. A realidade é que quem tem nome pode ser escalado para um clássico a qualquer momento.?

O lutador diz que se sente prestigiado dentro do Ultimate, já que suas duas últimas lutas ganharam bônus de melhor combate da noite. ?Eles sabem meu valor, e só tenho a agradecer pelo tratamento que me dão.?

Baque com a morte do pai

Wanderlei fez questão de agradecer o apoio dos torcedores após a morte de seu pai. Orlando Pinheiro da Silva foi vítima de um acidente de carro no Paraná, em 26 de agosto, em uma colisão frontal com outro veículo.

?Isso mexe com qualquer um, mas só posso dizer obrigado por todo o apoio. Recebi um suporte que foi sem preço?, comentou o lutador.

?Eu só tenho é que tirar forças disso. Foi uma fatalidade, acontece com qualquer um, e deixa lições. Às vezes você tem uma briguinha com seu pai, só posso dizer: resolva isso. Lembro que com 16 anos, eu tinha um cabelo ridículo e ele me falava para cortar. Eu não aceitava, e hoje sei que ele está certo?, relembrou Wanderlei, sem mostras de tristeza e claramente já recuperado para voltar ao ringue, até como forma de homenagear o pai.

Fonte: UOL