Zidane assiste êxito da Eslovênia

Zidane assiste êxito da Eslovênia

Invasão, Zidane e frango "apimentam" êxito da Eslovênia contra a Argélia

Argélia e Eslovênia adotavam discursos parecidos antes da Copa. Ambas admitiam a condição de coadjuvantes para o Mundial, tendo como metas se entregar ao máximo para honrar suas nações. O duelo em Polokwane evidenciou os planos das duas seleções. Sobrou vontade, mas faltou qualidade.

Resumindo: aquele que acordou cedo no Brasil em pleno domingo para assistir à partida fez uma péssima escolha. O resultado final apontou triunfo esloveno, por 1 a 0, pelo grupo C.

O gol da Eslovênia, aliás, não poderia ser mais apropriado ao nível do jogo. Um chute sem muita força de Koren. Chaouchi frangou.

Tarefa simples para um torcedor ou jornalista, como escolher o melhor jogador em campo, se tornou uma missão digna de questões de concorridos vestibulares.

Mas se engana quem achou modorrento o evento no estádio em Polokwane. Houve sim atrações, mas estavam fora da disputa dos 11 contra 11. Do camarote, Zinedine Zidane, de origem argelina, tentava emanar luz à partida sem brilho. Um torcedor escalou a torre.

E antes do jogo, dezenas de torcedores argelinos se aventuraram no gramado assim que avistaram os atletas de seu país entrarem para o aquecimento pré-jogo. Houve um corre-corre intenso, mas sem violência. Alguns até se divertiam fugindo dos seguranças.

O insosso duelo em Polokwane serviu para aquecer a discussão sobre os efeitos do inchaço da Copa do Mundo, que passou a contar com 32 seleções desde 1998.

Argélia x Eslovênia entrará para história como aquele jogo para ?encher linguiça?, forte candidato a pior da história em Copas.

Como consolação, a partida talvez seja lembrada por bizarrices, como os cortes de cabelo dos argelinos Yebda e Chaouchi, estilo cantor Belo, ou então pela narração em um canal nacional, que trocou os times até o primeiro minuto de partida.

Verdade seja dita. A Eslovênia fez um segundo tempo ?menos pior? do que o primeiro, incomodando a zaga argelina em poucas ocasiões. Koren, aos 34 min, colocou os eslovenos à frente no placar. O goleiro Chaouchi colaborou.

Inglaterra e Estados Unidos, que completam a chave C, certamente gostaram do que viram neste domingo.

Fonte: ABD-PI