Zizao, astro chinês corintiano, dá até pedalada na estreia no Timão

A demora não foi por birra do professor Tite, mas sim por falta de preparo.

Demorou. Alguns nem acreditavam mais que acontecesse. Mas Zizao estreou com a camisa do Corinthians. E antes da volta de Adriano.

A demora não foi por birra do professor Tite, mas sim por falta de preparo. Reza a lenda que Zizao era mais frágil que um filé de borboleta. O jogo de anteontem não foi no Pacaembu, onde possivelmente a torcida teria até "zizaozetes". Mas o palco foi melhor: Varginha, terra de supostas criaturas alienígenas.


Zizao, astro chinês corintiano, dá até pedalada na estreia no Timão

Passava dos 33 minutos do segundo tempo quando Zizao estreou, após receber orientações do auxiliar técnico, que mostrava um campinho para o meia-atacante. Na transmissão da Globo, foi alçado instantaneamente a atração do jogo, um 2 a 0 meio sem graça pró-Cruzeiro.

Zizao entrou no lugar de Welder, lateral direito improvisado do lado esquerdo. Vestia a camisa 200, curiosamente, o mesmo número que Neymar (ex-filé de borboleta) usava na mesma noite (e fazia um golaço contra o Atlético-MG). A de Neymar era pelo número de jogos na equipe, a de Zizao era pelos 200 anos da imigração chinesa.

Sem saber como comentar a alteração, Caio Ribeiro apelou ao estereotipo do jogador oriental: "Não o conheço, mas na teoria é correria que vem por aí". E Zizao correu. Em cerca de 15 minutos, tocou sete vezes na bola.

Sofreu falta, bateu escanteio (só um toquinho de lado, na verdade), correu para cobrar lateral, tentou marcar. E deu até um chute a gol.

O auge de sua participação veio num contra-ataque. O chinês pôs a bola na frente e partiu para a pedalada. Mas o zagueiro cruzeirense o deixou com a bicicleta na mão.

"Abusado esse Zizao", comentava Milton Leite.


Zizao, astro chinês corintiano, dá até pedalada na estreia no Timão

No fim, estava contente com a estreia, porém triste pelo resultado da equipe.

Ontem, jornais chineses tratavam a estreia do moço com alvoroço: "Zizao, Zizao, Zizao", celebrou o "Sports Hangzhou", que achou a estreia "boa para um jogador chinês". O "Dayoo" citou o momento como "histórico".

A profecia em sua apresentação, no longínquo 1º de março, concretizou-se. "Vocês ainda vai gostar de mim", dizia ele. Ou era assim que a esforçada intérprete traduzia.

Tite também falou: "É jogador de beirada, atua em linha de três. Tem a jogada individual. Quando entrou, o time estava numa retomada de resultado, busca de padrão para equilibrar". Titês pode ser tão difícil quanto chinês.

Fonte: Folha